Notícias

14 de novembro de 2014

Notícias: Braskem troca PEAD por PELBD para atender demanda local

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A Braskem promove alterações em sua capacidade de produção de polietileno em Camaçari-BA. A empresa vai converter uma linha que atualmente produz polietileno de alta densidade (PEAD) para polietileno de baixa densidade linear (PEBDL). Com a conversão, a capacidade de produção de PBDL sofre incremento de 120 mil toneladas por ano, e a capacidade total de produção de polietileno da Braskem aumenta em 30 mil t/ano. A empresa não informa sua capacidade de produção de PEBDL. Ao todo, fabrica três milhões de toneladas anuais de polietilenos.

    A previsão é que a linha de produção reconfigurada comece a operar no primeiro semestre de 2015. Das 120 mil toneladas adicionais de PEBDL, 100 mil serão destinadas para a produção família Flexus, marca do polietileno metalocênico da empresa, modalidade que representa cerca de 20% do mercado de PEBDL, mas cresce em taxas superiores à média desse mercado. O Braskem Flexus é utilizado em embalagens que exigem características como maior resistência, brilho, transparência e selagem. É voltado à indústria de transformação em aplicações de filmes especiais, bobinas técnicas e filmes industriais.

    No segmento de filmes industriais (filmes stretch), o uso do PEBDL metalocênico se torna fundamental para atender aos requisitos mecânicos que não são atendidos pelo PEBDL convencional, principalmente em máquinas de alto desempenho para filmes de baixa espessura. Já em filmes técnicos e especiais, muito usados no empacotamento automático de cereais, além de alta resistência, mesmo nas menores espessuras, o PEBDLm propicia maior velocidade no envase e melhoria na estética da embalagem.

    Hoje, cerca de 30% do mercado local de PEBDL é suprido por importados. Com o investimento, a Braskem passa a ter capacidade para atender a demanda nacional da resina pelos próximos anos.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *