Borracha

29 de novembro de 2013

Notícias: Avança a participação chinesa no consumo nacional de pneus

Mais artigos por »
Publicado por: Renata Pachione
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A produção nacional de pneus cresceu 4% nestes primeiros quatro meses de 2013, em relação a igual período do ano passado – o volume fabricado chegou a 22,30 milhões de unidades. Do total, os veículos de passeio representaram 48,3%, enquanto o restante se dividiu entre as categorias de duas rodas, carga (caminhões e ônibus), agrícola, industriais e outros. Esses dados são da Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip).

    A indústria automotiva, por sua vez, avançou 17% no mesmo período. Alberto Mayer, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), atribui essa incongruência ao aumento das importações. Para ele, boa parte dos importados entra no país de forma irregular ou apresenta baixa qualidade, fatores que somados tornam a concorrência com os produtores locais desleal. Outro ponto diz respeito ao fato de esses produtos, geralmente oriundos da Ásia, descumprirem as exigências ambientais de recolhimento. A indústria brasileira gasta anualmente cerca de R$ 80 milhões para dar conta da destinação correta dos pneus inservíveis.

    Registros da associação dão conta de que a importação de pneus (exceto duas rodas) cresceu 25,5%, totalizando 9,73 milhões de unidades. Do total, a produção chinesa representou 5,16 milhões de unidades. Esse volume configura um aumento de 16,5% da participação da China no mercado nacional. As exportações, em contrapartida, apresentaram queda. No período, houve um retrocesso de 10,6%.

    Reciclagem – A coleta de pneus inservíveis (totalmente desgastados) é realizada pela Reciclanip, entidade sem fins lucrativos mantida pelo setor. No primeiro trimestre deste ano foram recolhidas 90 mil toneladas do produto, o que significou um crescimento de 1,5%, em relação a igual período de 2012. O pneu, após ser coletado, vai para a trituração, para ser reaproveitado em seguida. Pode vir a atender a diversas aplicações: combustível alternativo para os fabricantes de cimento ou para combustível de caldeiras, fabricação de asfalto ecológico, solados de sapato, em borrachas de vedação, pisos para quadras poliesportivas etc. Independentemente da categoria, todas as destinações são aprovadas pelo Ibama, como ambientalmente adequadas. Hoje grande parte dos pneus é usada como combustível das cimenteiras.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *