Aditivos e Masterbatches

2 de julho de 2012

Masterbatch – Pulverizado, mercado se abre para investidor estrangeiro e torna concorrêcua mais acirrada

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A vida para as empresas voltadas para o mercado de masterbatches não é fácil. O mercado é pulverizado e há um bom número de fornecedores aptos a oferecer produtos de qualidade. Não bastassem os participantes já tradicionais do setor, nos últimos tempos grandes nomes internacionais estão intensificando suas presenças por aqui por meio de aquisições de companhias nacionais. Na última edição da Brasilplast, em 2011, foram anunciadas as compras da Uniplen e da Polimaster pela PolyOne, dos Estados Unidos, e a da Mash Compostos Plásticos pela também norte-americana A. Schulman.

    Tamanha competitividade aliada à fase não muito positiva vivida pela indústria brasileira pode dar a entender que o segmento vive momento difícil. Não é o que representantes tradicionais dizem. Empresas como Cromex, Clariant, Ampacet, Pro-Color, Colorfix e Termocolor, entre outras, esperam, no mínimo, manter o nível de suas vendas igual ao do ano passado. Alguns fatores ajudam a explicar o otimismo. O principal talvez seja o constante avanço do plástico em aplicações antes dominadas por outros materiais. Produtos como embalagens, peças automobilísticas e peças para o setor de eletroeletrônica, entre outros, exigem boa apresentação. O uso de masterbatches de qualidade se torna cada vez mais necessário.

    A concorrência acirrada faz com que os fornecedores, sem exceção, adotem a parceria com os clientes como algo imprescindível. Investir de forma constante em pesquisa e desenvolvimento, descobrir fórmulas de qualidade, capazes de resolver as necessidades do mercado de forma consistente virou obrigação. Entre as novas fórmulas, há constante procura por produtos amigáveis ao meio ambiente.

    Fincar raízes – A PolyOne, com receitas líquidas de US$ 2,9 bilhões em 2011, é fornecedora de polímeros especiais, serviços e soluções. Sediada nos arredores de Cleveland, Ohio, EUA, tem operações em todo o mundo. Coerente com a estratégia de crescimento em especialidades e de expansão global, em dezembro de 2011, a empresa adquiriu a ColorMatrix Group Inc., uma indústria altamente especializada, com um pacote de aditivos de alta tecnologia e uma posição de liderança no mercado de corantes líquidos.

    A ColorMatrix não foi a primeira compra da PolyOne no país. As incorporações anteriores (em 2010) da Uniplen e da Polimaster tiveram como objetivo proporcionar tecnologia local em materiais de engenharia especiais, além de uma posição atraente no mercado brasileiro de distribuição de termoplásticos. “Temos agora uma completa linha de plásticos de engenharia, masterbatch de cor e de aditivos, e excelente capacidade de distribuição no Brasil, fornecendo pacote de soluções atrativo aos nossos clientes na região”, define Michelle Maniscalco, gerente de comunicação e marketing para a América do Norte e gerente global de relações com a mídia da PolyOne.

    De acordo com Michelle, a ampla linha de produtos é pesquisada para proporcionar cores exclusivas com o máximo desempenho. Entre eles, ela destaca a linha OnColor, com posta de grande variedade de concentrados, em especial de cores de efeito. Outra família, a OnCap, é formada por adi tivos funcionais para as mais diversas aplicações. A série SmartBatch é constituída por produtos que aliam cor com a funcionalidade do aditivo, simplificando o processo pro dutivo dos clientes. A gerente ainda faz questão de ressaltar os agentes expansores. “Permitem a redução do consumo de resinas em peças injetadas, sopradas, ou extrudadas, dimi nuindo o peso da peça e gerando competitividade”, explica.

    Ela enfatiza que a nova fase do trabalho da empresa no Brasil está colaborando com a atuação comercial, levando os produtos da marca a diversas regiões do país. Os proble mas da economia, entre eles a crise internacional provo cada pelas dificuldades de países da União Europeia, não ajudam. Mesmo assim, as vendas estão dentro do previsto. “Nossa expectativa é fechar melhor que o último ano. Toda a linha de produtos da PolyOne está disponível para o mer cado brasileiro, quer seja via fabricação local em uma de nossas plantas, ou importação”, emenda.

    Lançamentos – A A. Schulman, outra multinacional a inves tir na aquisição de uma empresa brasileira, a Mash Compos tos Plásticos, também tem a meta de reforçar sua presença local e mundial. Com sede em Ohio, emprega aproximada mente 3.000 pessoas e conta com mais de 30 instalações fa bris e suporte técnico na América do Norte e do Sul, Euro pa e região Ásia Pacífico. Por meio de seus produtos e ser viços atende transformadores dos processos de injeção, ex trusão, extrusão de película fundida, moldagem rotacional, sopro e termoformagem. Entre os mercados, atua em emba lagens plásticas, construção civil, automobilístico e de tele comunicações, entre outros.

    “Ser líder mundial no mercado de masterbatches é a meta global da A. Schulman”, afirma sem qualquer falsa modéstia o gerente comercial Hermann Schumacher. A em presa conta com portfólio completo. A linha Polibatch é for mada por concentrados de cor disponíveis em PE, PP, PS, biopolímeros e resinas especiais de engenharia, tais como PET e náilon.

    Dentro dessa linha, estão previstas novidades: a empre sa traz para o mercado brasileiro ainda neste ano um aditi vo que tem como principal atributo reduzir a espessura dos filmes de PP e PEAD e, em paralelo, aumentar suas proprie dades de barreira. “Ele possibilita menores custos de pro dução e vai ao encontro da tendência mundial de redução do impacto ambiental.”


    Página 1 de 512345

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *