Aditivos e Masterbatches

6 de outubro de 2014

Masterbatch: Fabricantes desenvolvem especialidades para ir além da paleta das cores

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Plástico Moderno, Masterbatch: Fabricantes desenvolvem especialidades para ir além da paleta das cores
    Este ano a economia nacional não crescerá da maneira esperada. No entanto, o fraco desempenho do PIB não está atrapalhando muito os fornecedores de masterbatches atuantes do mercado brasileiro. Os resultados nem sempre estão muito bons, mas também estão longe do desastre, em que pese o fato de esse nicho de atuação, bastante pulverizado, carecer de estatísticas confiáveis.

    O sentimento positivo é extraído das informações de alguns representantes de empresas conhecidas, casos da Cromex, ProColor, Termocolor, Cristal Master e Aditive. Embora reconheçam ter passado por momentos de dificuldade durante os primeiros seis meses do ano, essas empresas estão longe de demonstrar grande insatisfação com o desempenho de suas vendas. Entre elas, algumas apresentaram crescimento significativo. Para o segundo semestre, a expectativa é otimista. Trata-se do período do ano cujos negócios historicamente se aquecem para as empresas do ramo.

    Não há dúvidas de que o faturamento obtido com a venda de commodities é mais significativo. Os volumes comercializados são bem maiores. Por outro lado, a pesquisa e desenvolvimento de formulações mais sofisticadas é preocupação unânime. A ordem é criar soluções para satisfazer as necessidades do mercado e, de quebra, engordar as receitas. Quanto mais sofisticado o produto, maior o valor pelo qual é oferecido.

    Uma preocupação diária é desenvolver cores diferenciadas para atender o desejo dos compradores. Os clientes do mercado de embalagens estão entre os que procuram isso com frequência. Uma cor exótica pode dar grande destaque a um produto na gôndola de um supermercado, por exemplo. Como quase todos os fabricantes também produzem aditivos variados, desenvolver compostos com masterbatches voltados para fazer os plásticos adquirirem propriedades diferenciadas é outra vertente importante da pesquisa dos especialistas no assunto.

    Nesse cenário, algumas empresas estão investindo para aumentar suas capacidades de produção. Um caso radical é o da ProColor, há 27 anos no mercado. Ela está construindo uma nova fábrica em Pernambuco, no município de Condado. A planta deve ser inaugurada em três meses e vai substituir a atual fábrica que a empresa mantém no mesmo estado, em Jaboatão dos Guararapes.

    “Com a inauguração, a nossa capacidade de produção aumentará de forma significativa”, garante Vanessa Falcão, gerente-comercial de São Paulo. Ela não quantifica o aumento, informação considerada estratégica, nem o quanto foi investido no empreendimento. A ProColor também conta com fábrica em Cotia-SP, onde se encontra sua sede.

    Outra inauguração, esta ocorrida no início do ano, envolve a Cristal Master. Com fábrica em Joinville-SC, a empresa abriu filial em Itupeva-SP. O prédio conta com espaço para armazenagem dos produtos a serem distribuídos e um laboratório de desenvolvimento voltado para atender pedidos de clientes das regiões Sudeste e Centro-Oeste. A empresa também possui filiais em São Leopoldo-RS e Jaboatão dos Guararapes-PE.

    Razoável – A ProColor fabrica concentrados de pigmentos ou corantes dispersos em resinas nas versões branca, preta e colorida. Seus masterbatches podem ser adicionados ao PE, PP, ABS, EVA, PA, PS e PET, entre outros materiais plásticos. A empresa também fabrica uma grande gama de aditivos, indicados para dar diferentes propriedades aos plásticos. Está há quase trinta anos no mercado.

    A empresa positivamente não gosta de falar sobre números ao comentar seu desempenho. “Na somatória do semestre ocorreu crescimento comparado ao mesmo período do ano de 2013”, resume Vanessa. Isso apesar das dificuldades ocorridas no período, como queda na demanda de consumo, jogos da Copa do Mundo, instabilidade financeira e negativação de crédito.

    Em relação ao segundo semestre, ela se mostra otimista e cautelosa. “Temos que continuar acreditando no crescimento e trabalhando com a mesma disposição de sempre, apesar de ouvir com frequência se tratar de um ano de eleições e perspectivas de baixo crescimento. Precisamos ser cautelosos na hora de investir”.

    A ProColor se esforça para sempre trazer novas formulações, obrigação de quem está interessado em atender o que os clientes pedem. Na área de masterbatches, o desafio é chegar às cores solicitadas pelos clientes. A maior novidade, no entanto, vem da área de aditivos. A empresa firmou parceria comercial e técnica com a Ecoventures Bioplastics do Brasil.

    A Ecoventures é norte-americana e atua no mercado nacional há pouco mais de três anos. A empresa detém a tecnologia Go Green P-Life. “Essa tecnologia permite a adição do aditivo aos mais variados derivados da nafta, transformando-os em biodegradáveis com custo competitivo e sem resíduos tóxicos ou metais pesados”, afirma a gerente-comercial. Com o acordo, a ProColor visa desenvolver e distribuir resinas biodegradáveis voltadas para atender a necessidade dos clientes.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *