Máquinas e Equipamentos

12 de janeiro de 2015

Máquinas: Produção de telhas sustenta mercado das extrusoras

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página
    Plástico Moderno, Instalação de telhas de PVC é rápida e pede menos estrutura

    Instalação de telhas de PVC é rápida e pede menos estrutura

    Alguns fabricantes de extrusoras estão com ótima expectativa de crescimento para os próximos anos. O motivo do otimismo se concentra em uma aplicação que promete se popularizar bastante. São as telhas de PVC, possíveis motivos de fortes investimentos na compra de equipamentos por parte dos transformadores. O plástico, já usado com sucesso nessa aplicação em outros países, apresenta características bastante interessantes para os empresários da construção civil.

    Plástico Moderno, Branco: plástico pode reduzir custo total da obra em 30%

    Branco: plástico pode reduzir custo total da obra em 30%

    “Em 2014, estima-se que serão produzidas 24 mil toneladas de telhas de PVC. Esse número deve saltar para 100 mil toneladas por ano em uma década”, resume Chrystalino Branco Filho, diretor comercial da Bausano do Brasil, com fábrica na capital paulista. O filão é dos mais atraentes. No Brasil estima-se serem fabricados em torno de 600 milhões de metros quadrados de telhas por ano. Aproximadamente 45% do total são de telhas de fibrocimento e 40% cerâmicas. O PVC ainda mal aparece nas estatísticas.

    Uma das vantagens do plástico atinge um lado muito sensível do ser humano, o bolso. “O preço inicial é maior do que o dos materiais concorrentes, mas a relação custo/benefício é muito vantajosa. O uso do plástico reduz o custo da obra em até 30%”. Branco Filho justifica a tese a partir da constatação de que as telhas de PVC são muito mais leves. A economia começa com o transporte do material. O maior lucro se concentra na construção da estrutura necessária para segurar o telhado, geralmente feita de madeira. “O tempo e a mão de obra necessária para construir essas estruturas caem bastante”, explicou.

    Existem outras vantagens: elas são mais resistentes, podem ser fabricadas em diferentes cores e recicladas. Outro motivo do otimismo é a recente aprovação, por parte do Ministério das Cidades, do uso da telha nas construções ligadas ao projeto Minha Casa, Minha Vida. Em tempo: as telhas de PVC não são fabricadas apenas com a resina. Elas são coextrudadas, contam com camada fina (em torno de 8% da espessura) de material acrílico.

    A Bausano já vendeu uma linha completa para produção de telhas para um grande fabricante do setor. Duas outras linhas estão praticamente negociadas. “Não revelamos o nome dos compradores”, despista. A máquina da empresa dirigida para esse setor tem dupla rosca paralela e capacidade de produção horária de 600 kg.

    Telhas à parte, 2014 para a empresa foi satisfatório. “Em meio às notícias que ouvimos no mercado, nossos resultados foram bons, nossos clientes não deixaram de investir. Não atingimos o nível de vendas de 2011, nosso melhor ano, mas crescemos 10% em relação a 2013”, informa. Para o executivo, o bom volume de negócios se deveu bastante às empresas ligadas à construção civil. “Fomos bem procurados por fabricantes de tubos de PVC e forros”.

    Para 2015, a sensação é de aquecimento nas vendas. “Há demanda reprimida. Muitos transformadores estão com máquinas defasadas, têm interesse de substituir duas ou três extrusoras por uma mais moderna com maior produtividade”. Em termos de tecnologia, a Bausano lançou novo sistema CLP. Ele permite o controle das máquinas com maior facilidade e alerta os operadores sobre eventuais problemas de funcionamento, melhorando os sistemas de manutenção. “O controle é apropriado para o mercado brasileiro, carente de operadores bem treinados”.

    Esperança – Outra empresa com boa expectativa em relação a esse nicho de mercado é a Extrusão Brasil, de Diadema-SP, fabricante de máquinas para os mercados de perfis, tubos e laminados. Prova disso se encontra no lançamento feito pela empresa esse ano. Trata-se da primeira linha da marca com duplas roscas cônicas, indicada para a produção de perfis.

    “Desenvolvemos essa tecnologia pensando no mercado de telhas, que é novo e deve se desenvolver bastante nos próximos dez anos”, revela Leonardo Rocha Borges, diretor geral. Para ele, a produtividade das roscas cônicas é em torno de 20% maior do que a de modelos com roscas paralelas. A máquina pode ser acoplada a linhas de produção completas, cujos demais equipamentos também são fornecidos pela empresa.

    Outros mercados são atendidos pela Extrusão Brasil. Em sua linha de produtos se encontram extrusoras de rosca simples, duplas co-rotantes ou contra-rotantes, misturadores e demais periféricos. “As vendas do ano de 2014 ficaram abaixo do esperado”. No primeiro semestre a demanda foi muito fraca, com tímida recuperação no segundo. “Alguma coisa tem que ser feita pelo governo. Esperamos algumas novidades para o setor, ainda não dá para saber o que vai acontecer”, dispara o diretor.



    Compartilhe esta página







      3 Comentários


      1. marcelo

        Ola
        Essa telha de pvc é realmente resistente ? Estou construindo um sobrado e não quero bater a ultima laje, quero instalar a telha e fazer um forro de gesso ou pvc. Caso eu opte pela telha de pvc, seria mais interessante bater a laje para dar mais resistência em caso de ventaval? Uma chuva de granizo pode danificar esse material? Grato pela atençao!


      2. marcio vandro

        Bom dia como posso comprar. Se passar medida da casa vcs fazem?


      3. Marina Pereira

        Bom dia ,

        Onde posso comprar esta telha de PVC



      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *