Máquinas e Equipamentos

26 de dezembro de 2014

Manutenção: Cuidar bem das máquinas prolonga a sua vida útil e evita prejuízo com paradas

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Plástico Moderno, Manutenção: Cuidar bem das máquinas prolonga a sua vida útil e evita prejuízo com paradas

    Prevenir é melhor do que remediar”. Poucos são os que discordam deste antigo ensinamento. No dia a dia, no entanto, outro ditado bem conhecido muitas vezes prevalece: “na prática, a teoria é outra”. Os fabricantes de injetoras garantem vida útil às máquinas tratadas com “carinho” pelos transformadores. Por “carinho”, se entende fazer a manutenção preventiva de acordo com as recomendações dos manuais.

    Os usuários dos equipamentos sabem disso e juram que tentam seguir o melhor caminho. Por culpa do ritmo acelerado das linhas de produção ou por certa falta de atenção, nem sempre conseguem. O descuido resulta em quebras e no grande prejuízo causado pelas longas paradas de máquinas. As ações precisam ser feitas com diferentes periodicidades, algumas são diárias, outras depois de alguns meses de funcionamento da máquina. Os prazos recomendados variam com o ritmo de trabalho diário imposto ao equipamento.

    Também não deve ser esquecida a manutenção preditiva. Em outras palavras, os técnicos responsáveis precisam estar atentos a detalhes como som e cheiro emitidos pelas máquinas, prováveis alterações de temperatura e outros detalhes que indicam a necessidade da correção de algum desvio. Os problemas, é lógico, são mais graves no caso das máquinas mais antigas – muitas hoje instaladas nas fábricas brasileiras estão na ativa há mais de trinta anos. As novas, no entanto, também causam surpresas desagradáveis vez por outra.

    Quando a máquina quebra, não há outro jeito. A ordem é fazer o reparo o mais rápido possível. Transformadores de maior porte, em geral, contam com técnicos especializados em seu time de colaboradores. Os menores, nem sempre. Pelo sim, pelo não, existem empresas especializadas em reparos, sempre lembradas nas horas difíceis. Essas empresas em geral são pequenas, às vezes apenas com seus proprietários como integrantes. Possuem diferentes tipos de especialização e são criadas muitas vezes por técnicos com anos de experiência, oriundos das equipes de assistência técnica mantidas pelos fabricantes das injetoras.

    Esses prestadores de serviço têm outros filões de atuação. Eles também executam reformas completas de máquinas, realizadas para que elas tenham desempenho próximo ao de quando eram novas. Outro trabalho é o de retrofit, nome dado à reforma acompanhada da modernização do equipamento. Os retrofits e reformas são solicitados não só pelos transformadores interessados em melhorar o desempenho de suas linhas de produção, mas também pelos envolvidos na venda ou compra de equipamentos usados.

    Plástico Moderno, Reis: manual das injetoras traz orientações para os clientes

    Reis: manual das injetoras traz orientações para os clientes

    Dicas do fabricante – Os fabricantes de equipamentos dão todas as dicas necessárias aos transformadores para manter as injetoras em boas condições de funcionamento. Um exemplo ocorre com a Romi, nome para lá de conhecido do mercado. “Elaboramos um manual completo e detalhado para o cliente planejar e realizar a manutenção preventiva e corretiva de suas máquinas”, garante William dos Reis, diretor da unidade de negócios de máquinas para plásticos.

    Alguns tópicos são destacados pelo executivo. As máquinas devem ser energizadas com cabos elétricos devidamente dimensionados, com aterramento adequado e tensão balanceada entre fases. É preciso garantir o correto nivelamento da máquina. Uma prática fundamental é analisar periodicamente a qualidade físico-química do óleo hidráulico, para garantir a ausência de contaminantes. Manter a temperatura do óleo dentro da faixa de trabalho recomendada, com a vazão adequada de água industrial no trocador de calor, usar somente lubrificantes especificados e programar corretamente a frequência da lubrificação de acordo com a severidade de uso são outros cuidados fundamentais.

    Também é preciso evitar acúmulo de poeira e partículas sólidas sobre partes deslizantes e rotativas, verificar todos os anos o paralelismo das placas do fechamento e a equalização dos tirantes, checar periodicamente o funcionamento dos sistemas de segurança, monitorar e substituir os filtros de óleo hidráulico e limpar o trocador de calor e os filtros de ventilação dos painéis elétricos. “O plano de revisões e verificações pode ser realizado pelo próprio cliente”, diz. Durante a entrega técnica das máquinas, os técnicos da fabricante verificam todos os principais aspectos para seu correto funcionamento. “Somente depois de efetuada a entrega técnica, o cliente passa a ter o direito ao período de garantia previsto”.

    A Romi possui equipe própria de assistência técnica com mais de cem técnicos que atendem em todo território nacional e mantém estoque com mais de 16 mil itens de reposição. “Disponibilizamos atendimento eletrônico 24 horas por dia, sete dias por semana, para agendamentos técnicos. Durante o horário comercial, além dos agendamentos, dispomos de uma equipe de atendentes e consultores treinados para dar suporte técnico por telefone”, informou Reis.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      Um Comentário


      1. Bom dia,

        Dicas assim deve se dar mais enfase.
        No Brasil os tecnicos não tem o costume se se interar com o manual de manutenção, é uma cultura que mudará enfatizando pontos relevantes que não são nem um pouco considerados.
        Uma coisa muito importante, que ninguem leva à serio é proteção e manutenção na superfície das placas fixa e móvel das maquinas.
        Na mairia das empresas que visito eu vejo o mal trato nessas superficies. Tem maquina que fica com o molde fixo e condensando por muito tempo, e essa região oxida e desgasta à ponto de um molde um pouco maior se apoiar somente nas extremidades, sem considerar que colocam moldes com area muito pequena em maquinas grandes , onde o equipamento trabalhando 24 horas vai afundando a placa , isto é, deixando-a placa cheia de degraus.
        Isso compromete muito os moldes, emuitas vezes não sabem o porque….
        É muito difícil, mudar o comportamento dos tecnico e do diretores de empresas quanto a certos assuntos.
        Precisamos destacar esse ponto em palestras, em comentários como esses acima, e devagar concientizarmos à todos.
        Meu telefone é (19) 997639113 se quizerem entender melhor meu comentario fiquem à vontade.

        Att. Pedro



      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *