Feiras e Eventos

12 de dezembro de 2010

K 2010 – Sopro elétrico ganha força com motores mais baratos

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Furtado
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Na área das sopradoras, o grande tema da exposição foi o crescimento visível na oferta de máquinas totalmente elétricas. Havia várias empresas mostrando novos modelos das all-electrics, o que se mostra uma tendência irreversível, e também das híbridas, ou seja, elétricas/hidráulicas. Como grande motivador da tecnologia, está o fato de, nos últimos dez anos, o custo dos motores elétricos ter caído e sua oferta, por sua vez, ter aumentado em todo o mundo. Além da eficiência energética – essas máquinas consomem menos energia –, outra vantagem da tecnologia é o seu mais preciso controle do processo.

    Apresentação badalada foi a primeira máquina totalmente elétrica com estação dupla de extrusão-sopro da filial alemã da Uniloy Milacron. O modelo UMS 12E.D, que soprava garrafas de 225 ml com um cabeçote de parison triplo, é o estágio superior da estratégia da empresa de fazer máquinas de maior eficiência energética e precisão. Isso começou na K de 2007, quando a empresa mostrou uma versão híbrida de estação única e que depois, na NPE de Chicago, Estados Unidos, foi totalmente transformada em elétrica.

    Plástico Moderno, K 2010 - Sopro elétrico ganha força com motores mais baratos

    Linha Unimax da MBM é voltada para salas limpas

    Os novos modelos elétricos são disponíveis em versões de 4, 8 e 12 toneladas de força de fechamento. Comparadas com as máquinas similares de acionamento hidráulico, o consumo de energia dessas sopradoras é 45% menor. Dependendo do tipo de resina processada, porém, a eficiência energética pode variar. Além disso, por não ter óleo, podem ser uma boa solução para produção em sala limpa, de embalagens sensíveis para a indústria farmacêutica, médica ou alimentícia. Outro ponto também apontado é sua operação silenciosa e seu tamanho compacto. De acordo com a gerente de vendas Karola Hepfner, ter incluído os motores elétricos na linha da Uniloy foi o principal desafio conquistado nos últimos anos na empresa. O próximo passo é lançar um modelo com 24 toneladas de força de fechamento.

    Plástico Moderno, Heinz Weber, Diretor-geral da MBM, K 2010 - Sopro elétrico ganha força com motores mais baratos

    Weber: nova geração de sopradora elétrica é 20% mais eficiente

    Outra empresa que destacou uma nova máquina elétrica de injeção-sopro foi a alemã MBM Maschinenbau Mühldorf. Trata-se da segunda geração da linha Unimax de máquina com força de fechamento de 50 toneladas. Denominada Unimax Ecospeed, e idealizada para produzir em sala limpa garrafas para a indústria farmacêutica e cosmética, ela pode processar vários materiais, é silenciosa, e tem avançado sistema de controle.

    De acordo com o diretor-geral da MBM, Heinz Weber, a nova geração é ainda 20% mais eficiente energeticamente do que o modelo anterior (de 6 a 9 kwh contra 5 a 14 kwh).

    Bom ressaltar que este modelo é a segunda geração apenas da linha Unimax, pois antes desses a empresa já produziu mais quatro modelos de sopradoras  elétricas. “Somos uma das primeiras no mundo a produzir máquinas de injeção-sopro all electric”, afirmou Weber.

    Plástico Moderno, William Petrino, Presidente da Jomar, K 2010 - Sopro elétrico ganha força com motores mais baratos

    Petrino: Jomar prefere o conceito híbrido no sopro

    Já a norte-americana Jomar apresentou sua primeira máquina de injeção-sopro híbrida: com acionamento elétrico da rosca e fechamento hidráulico. Segundo o presidente da Jomar, William Petrino, com essa tecnologia a máquina consegue economizar energia em até 50%, em comparação com a totalmente hidráulica, e compensa as perdas no fechamento por acionamento elétrico. “As all-electrics perdem na força de fechamento”, disse. O modelo híbrido da Jomar é o 85S. Tem força de fechamento da pré-forma de 65,4 toneladas e de fechamento de sopro de 15,4 toneladas.

    Plástico Moderno, Uwe Margraf, Presidente da Bekum do Brasil, K 2010 - Sopro elétrico ganha força com motores mais baratos

    Margraf: Bekum pode produzir elétrica no Brasil

    O acionamento elétrico da rosca do modelo híbrido – ainda não comercializado até o momento da feira – é incorporado com um sistema acumulador da própria Jomar e permite que a empresa reduza o motor padrão de 75 HP para outro de 30 HP. “Foi isso que trouxe a melhor eficiência energética”, disse Petrino. Segundo ele, em comparação com máquina padrão totalmente hidráulica da Jomar com unidade de plastificação vertical, o ganho foi de 36% no consumo, e de 50% ao se comparar com a unidade de rosca reciprocante. “Esses dados foram atestados por meio de pesquisa de uma consultoria independente especializada em energia elétrica”, completou.

    Melhor fechamento – Também manteve uma exposição bastante interessante na área de sopro a tradicional alemã Bekum. A empresa mostrou a nova geração de suas sopradoras BM-07, de concepção modular e remodelado sistema de fechamento, com paralelismo preciso de 0,1 mm, segundo revelou o presidente da Bekum do Brasil, Uwe Margraf. Mas o mais importante da novidade era o fato de esse novo sistema de fechamento mais preciso ser disponível tanto na versão hidráulica tradicional como em uma nova versão totalmente elétrica, da série Eblow.

    Plástico Moderno, K 2010 - Sopro elétrico ganha força com motores mais baratos

    A elétrica Eblow x07D tem novo fechamento

    Mesmo assim o modelo elétrico tem vantagens. A principal delas é a economia de energia de até 50%, além dos reduzidos ciclos a seco para produção, com velocidades até 15% maiores. Denominado Eblow x07D, um upgrade de versão lançada na K 2007, o modelo tem placas de molde com larguras de 350 mm a 700 mm e força de fechamento de 10 a 24 t, com uma ou duas estações. Além disso, o sistema elétrico é de baixo ruído (com um máximo de 68 decibéis).

    Esses benefícios têm um preço: a Eblow é 20% mais cara do que a hidráulica, embora sua economia de energia tenda a recuperar o investimento inicial.

    Segundo Margraf, o novo design do sistema de fechamento, disponível para os modelos elétricos e hidráulicos da nova série, oferece mais vantagens. A distribuição da força, por ser uniforme, assegura o melhor fechamento em moldes de qualquer espessura, garantindo peças sopradas com menos marcas de pinch-off.


    Página 1 de 212

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *