Feiras e Eventos

11 de dezembro de 2010

K 2010 – Expositores notam recuperação nas vendas, puxada principalmente por demanda de países emergentes

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Furtado
+(reset)-
Compartilhe esta página

    O cenário econômico para a indústria do plástico parece estar mudando. Depois de anos amargos, durante os quais não faltaram histórias de demissões, prejuízos e falências, foi comum após a realização da maior feira do ramo, a K 2010, de 27 de outubro a 3 de novembro em Düsseldorf, na Alemanha, a impressão entre os participantes de que se inicia uma tendência de recuperação dos negócios. Com número recorde de empresas participantes (3.102 no total) e inesperada presença de 222 mil visitantes (57% deles de fora da Alemanha), as expositoras foram unânimes ao notar um grande volume de contatos e o melhor: de novas regiões do mundo, as emergentes, justamente aquelas para as quais as empresas dos países desenvolvidos depositam todas as suas novas esperanças.

    Plástico Moderno, K 2010 - Expositores notam recuperação nas vendas, puxada principalmente por demanda de países emergentes

    A monorrosca solEX é para tubos de PE

    Mesmo que o número de visitantes tenha sido 8% menor do que em 2007 (portanto, antes da crise global), os 132 mil estrangeiros representam também um acréscimo, visto com grande satisfação pelos organizadores da K, em comparação com a feira anterior. Nessa edição houve aumento no número de visitantes de fora do continente europeu (45% do total). A maior parte veio da Ásia (30 mil) e o restante de países como Turquia, Israel, Brasil, Argentina, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos. Só da América Latina, foram 10 mil visitantes (em 2007: 7.600), a maioria brasileiros, o que era facilmente percebido pelos corredores da megafeira.

    Os pavilhões dedicados a máquinas e equipamentos na K 2010 serviram de termômetro para confirmar o clima de recuperação dos negócios atestado por muitos expositores. Além de serem tradicionalmente os mais movimentados, foram nos estandes desses fabricantes que vários pedidos de compra ou orçamento foram feitos e muitos novos sistemas em operação apresentados, com direito a brindes injetados, extrudados ou soprados para os visitantes – sem maiores economias de energia ou materiais, como costuma ocorrer em feiras nas épocas recessivas.

    Plástico Moderno, K 2010 - Expositores notam recuperação nas vendas, puxada principalmente por demanda de países emergentes

    A TwinEX de dupla rosca: novo motor

    As áreas de extrusão e sopro retratam bem esse panorama. No primeiro caso, o clima era de animação e mudanças, a começar pela mostra clara de consolidação no segmento, como ficou nítido nos estandes da alemã Reifenhäuser, agora fundida com a conterrânea Kiefel, e da tradicional Battenfeld Extrusionstechnik, integrada com a austríaca Cincinatti Extrusion.

    Em termos tecnológicos, porém, os destaques mais evidentes na área foram as imensas e modernizadas torres de extrusão de filme balão e cast, em operações a plena carga que chamavam a atenção dos visitantes de todas as partes do mundo, e ainda, a profusão, menos apoteótica, de extrusoras de dupla rosca para perfis e tubos, em novos modelos para processamento universal, mais econômicos e eficientes.

    Já no mercado de sopro, a tendência na oferta de máquinas totalmente acionadas eletricamente, ou de híbridas, continuou a toda força, confirmando a vocação para a economia energética dessas máquinas.

    Dupla rosca – Para começar pela extrusão, mais farta em novidades, vale ressaltar o campo da extrusão de dupla rosca, que demonstrou interessante evolução tecnológica, tanto para processar PVC como, de maneira ainda mais importante, poliolefinas, que começam a ter mais opções dessa tecnologia com o trunfo de aumentar a produtividade em uma só máquina.

    Plástico Moderno, Herbert Weilguny, K 2010 - Expositores notam recuperação nas vendas, puxada principalmente por demanda de países emergentes

    Weilguny: aposta em extrusora com baixo consumo de energia

    Para o processamento de perfis e tubos de PVC, houve o lançamento oficial de muitas máquinas. No movimentado estande da nova corporação formada pela união de duas grandes fabricantes, a Battenfeld-Cincinatti, houve vários exemplos, todos eles sob a proposta central do grupo de ofertar máquinas ambientalmente corretas, plano de estratégia e marketing que incluiu estande, extrusoras e gravatas dos colaboradores todos decorados de verde. De acordo com o especialista da empresa, Herbert Weilguny, as conquistas na área ambiental têm a ver principalmente com o novo motor de corrente alternada (AC) das máquinas, mais estável e isolado, fatores que reduzem consideravelmente o consumo de energia. “Esse desenvolvimento é fruto da sinergia tecnológica entre as duas empresas”, disse.

    A exposição da Battenfeld-Cincinatti foi organizada conforme sua nova estrutura, dividida agora em três divisões: construção, infraestrutura e embalagem. A divisão de construção lançou nova série de extrusoras de dupla rosca para processamento de PVC, com consumo de energia minorado e produtividade superior a linhas anteriores em até 10%, em razão de novo motor de quatro eixos mais poderoso. A linha denominada twinEX 93-34D conta com quatro modelos com diâmetros de rosca de 78 a 135 mm, L:D de 34 que cobre uma faixa de produção até 420 kg/h na extrusão de perfis.

    De acordo com Weilguny, as melhorias fizeram com que a nova série twinEX passasse a consumir 15% menos energia específica com aumento simultâneo da produtividade comparada com outras extrusoras de dupla rosca contrarrotante existentes no mercado. Segundo ele, isso foi conseguido também por causa do aumento da unidade de processamento para relação L:D de 34, combinado com a redução da dissipação de calor, conquistada por novo canhão totalmente insulado, um sistema novo de resfriamento por ar (Air Power Cooling) e a geometria remodelada das roscas.

    Outro aperfeiçoamento das máquinas do novo grupo especializado em extrusão, visando à eficiência energética aliada ao aumento de produtividade de perfis de PVC para janelas, contou com a participação de uma terceira empresa, a Gruber Extrusion, que desenvolveu sistema de economia de energia a vácuo. Trata-se de calibração a seco por vácuo que se utiliza de tanques de vácuo com um sistema de controle de nível. No final, a nova tecnologia de calibração consome 50% menos energia do que sistemas convencionais.


    Página 1 de 41234

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *