Feiras e Eventos

28 de setembro de 2007

K 2007 – Prévia – Nata da cadeia mundial do plástico se reúne por uma semana em feira alemã

Mais artigos por »
Publicado por: Marcio Azevedo
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Mais três anos se passaram e novamente é tempo de arrumar as malas para visitar a grande feira mundial da indústria do plástico. A Internationale Messe Kunststoff + Kautschuk (Feira Internacional Plástico + Borracha), alcunhada simplesmente por K, acontece de 24 a 31 de outubro, em Düsseldorf, na Alemanha, e é considerada a maior e mais importante vitrine da cadeia de produção de resinas termoplásticas. O encontro de 2007 reunirá cerca de 3 mil expositores oriundos de 52 países, e a expectativa é de atrair ainda mais visitantes que na última edição, quando pouco mais de 230 mil pessoas percorreram os caminhos do centro de exposições da Messe Düsseldorf, organizadora do evento.

    A visitação dessa feira requer planejamento. São 168 mil m2 de exposição repartidos em 19 pavilhões; e percorrê-los demanda tempo e esforço físico consideráveis – os mais sedentários podem usufruir do serviço gratuito de ônibus circulares que realizam o percurso entre os pavilhões.

    O acesso ao local da feira, no entanto, é elogiável. Pode-se chegar ao centro de exposições transportado por ônibus, metrô ou carro. O meio mais eficiente, porém, é o capilarizado sistema de trens e metrôs públicos de Düsseldorf, que pode levar passageiros rapidamente a qualquer canto da cidade. Ou de outras cidades: um dos passeios agradáveis e que pode ser feito ao final de um dia completo de andanças na feira é a visita à cidade de Colônia, Köln, em alemão, para contemplar as imponentes torres em estilo gótico de sua famosa catedral. O mapa com todas as linhas que circulam em Düsseldorf pode ser baixado em
    www.vrr.de/imperia/md/content/stadtlinienplaene/duesseldorf.pdfVisualizar Alterações

    Com passaporte em dia, passagem na mão e malas prontas (que devem incluir roupas para temperaturas ao redor de 10ºC e protetores labiais contra ventos cortantes e secos), Plástico Moderno antecipa a seus leitores um apanhado do que será exposto na K. Boa leitura!

    Participação de brasileiros reflete baixa expressividade em transações internacionais

    Os custos de aquisição de um estande e de transporte de pessoal e de máquinas em euros podem afugentar potenciais expositores sul-americanos da K. Mesmo assim, o Brasil será representado na Alemanha por um time com treze empresas, muitas delas freqüentadoras já tradicionais do evento.

    Essa participação é menor que a da última edição, com dezoito participantes, e ainda é muito tímida comparada à de países tão distantes da Europa quanto o Brasil, como China, Japão, Coréia, Malásia e Índia. O fato reflete a baixa participação dos competidores locais na corrente mundial de comércio, e um problema crônico de competitividade que tem no absurdo sistema tributário brasileiro seu maior forjador.
    Mas o futebol, as praias, a caipirinha e as curvas das encostas e dos corpos tropicais tornam o País bastante simpático aos olhos dos estrangeiros, e os expositores nacionais que sabem se aproveitar dessa “vantagem competitiva” sempre despertam a atenção do público em feiras no exterior.

    O escrete canarinho vai a campo com a seguinte escalação: Alcântara Machado (10 J61), Braskem (6 E80 e 6.1 W01), Petroquímica União (7 B21), Suzano Petroquímica (7.2 G15), Unigel Plásticos (07.1 B33), Carnevalli (16 D05), Rulli Standard (17 C06), Ciola-Acmack (15 C57), Cromex (06 E41), Eletro Forming (13 D40), Inbra Indústrias Químicas (7.1 E12), Primotécnica (11 B73) e Wutzl (4 C45).

    Novidades a serem vistas em Düsseldorf*

    ABB Automation

    A expositora alardeia a facilidade de uso de seus robôs, e comprova o fato. Durante sua exibição, um de seus modelos ficará à disposição dos visitantes, que poderão guiá-lo pela “mão” (na verdade, pela garra), como se faz com uma criança, e “ensinar” movimentos. Essa técnica de guiar pela mão permite que o usuário segure a garra enquanto um comando deenergiza a máquina, liberando seus movimentos. Ao mover o autômato pelas posições requeridas, um programa “decora” o caminho, gerando o trajeto operacional.

    O interessante desenvolvimento será demonstrado pelo modelo IRB140, com seis eixos, perfeito para máquinas de injeção de menor porte. Ainda no tema de facilidade de uso, a ABB apresenta soluções em programação para diversas aplicações robóticas em processamento de plástico e borracha. 11 C39

    Plástico Moderno, K 2007 - Prévia - Nata da cadeia mundial do plástico se reúne por uma semana em feira alemã

    A AEC destaca os funis secadores SD

    AEC

    Essa fabricante de equipamentos para o manejo de materiais apresenta seus produtos com destaque para os funis secadores SD, os controladores de temperatura TrueTemp e as misturadoras BD, todos em exposição. A série SD de funis secadores de pequeno porte é construída em aço inoxidável, possui isolamento térmico duplo no cilindro e oferece design com fluxo de massa único. Os controladores de temperatura, marca TrueTemp, são próprios para aplicações que demandam suprimento contínuos de água com temperatura monitorada. Possuem faixa de trabalho entre 0º C e 121º C (temperatura de saída) e precisão de 1º C, e as opções compactas oferecem configurações de 9 kW, 12 kW, 18 kW, e 24 kW. Já as misturadoras BD, cujo representante in loco será a BD 500, estão disponíveis em vários modelos, com produção entre 5 kg/h e 2.730 kg/h, e possibilidade de blendagem de até oito componentes. 9 D23


    Página 1 de 1712345...10...Última »

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *