Máquinas e Equipamentos

19 de abril de 2010

Injetoras – Aquisições de empresas geram lançamentos

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Há dois anos, aquisições de empresas com marcas muito fortes agitaram o mercado de injetoras. Vale recordar. A brasileira Romi adquiriu a italiana Sandretto, negócio que gerou a criação da Romi Itália. Em tempo: a marca Sandretto continua a ser usada no exterior. A Sandretto do Brasil, ainda em atividade, não tem nada a ver com a aquisição. A japonesa Sumitomo, especialista em injetoras elétricas, comprou a alemã Demag, cujo forte eram as hidráulicas e híbridas. A austríaca Wittmann, especializada na fabricação de robôs e outros periféricos para injeção, adquiriu a fabricante de injetoras alemã Battenfeld.

    Essas uniões começam a gerar o lançamento de modelos onde se nota a união de esforços dos departamentos de engenharia das empresas envolvidas. No caso da Romi, resultou na nova série de máquinas Primax 230 RI, fabricadas pela Romi Itália. Para Hermes Lago, diretor de comercialização de máquinas, o lançamento resulta do trabalho da unificação de produtos, de acordo com planos divulgados após o fechamento do negócio na Itália. “Estamos desenvolvendo uma série global de injetoras com máquinas de primeira linha fabricadas na Itália”, explica.

    A série Primax 230 RI é indicada para a produção de peças de precisão, como componentes de aparelhos celulares, peças médicas e eletroeletrônicas. De acordo com Lago, os modelos da linha apresentam excelente relação custo/benefício, ao permitir melhor desempenho com menor consumo de água e óleo. “As máquinas são equipadas com bomba hidráulica variável e eletrônica incorporada. Elas apresentam reduzido consumo energético, circuitos hidráulicos mais simples e usam menor volume de óleo hidráulico”, diz. As novas injetoras contam com painel de comando e-One, totalmente interativo e com controle absoluto do processo de injeção. Elas têm fechamento mecânico – cinco pontos.

    A compra da Demag pela Sumitomo também começa a gerar modelos diferenciados. A empresa prepara para a próxima K, uma das maiores feiras do mundo do setor, realizada na Alemanha, o lançamento da série Interlec – Smart. Trata-se de uma linha de máquinas totalmente elétricas, montadas com componentes fabricados no Japão e na Alemanha.

    “Os motores serão fabricados pela Sumitomo, os comandos e as bases das máquinas pela Demag”, informa Christoph Rieker, gerente-geral da Sumitomo/Demag Brasil. Para Rieker, a união das especialidades das duas empresas melhora a qualidade das máquinas e reduz o custo de produção. Fabricada na Alemanha, a série terá inicialmente modelos de 50 a 350 toneladas de força de fechamento. “No futuro serão fabricados modelos maiores”, revela.

    Outra novidade a ser apresentada na K pela Demag é a série Elexis. O lançamento tem como objetivo atingir o mercado de ciclo rápido. “As máquinas estão entre as mais velozes do mercado, são voltadas para a fabricação de tampas, potes e embalagens”, conta Rieker.

    Plástico Moderno, Injetoras - Aquisições de empresas geram lançamentos

    Wittmann/Battenfeld anuncia novidades para próxima K

    A K também é alvo de novidades da marca Battenfeld. Desde a aquisição da marca pela Wittmann, por motivo estratégico, a produção de modelos grandes havia sido interrompida. Agora, a empresa anuncia a chegada da linha MacroPower, composta por unidades com de 800 a 1.300 toneladas de força de fechamento. As máquinas são indicadas para a produção de peças técnicas. “Nosso forte é o setor automotivo”, ressalta Marcos Cardenal, engenheiro de vendas da Wittmann/Battenfeld do Brasil.

    De acordo com o técnico, os equipamentos MacroPower apresentam algumas características diferenciadas. Uma delas agrada qualquer cliente. “Ela apresenta excelente custo/benefício, seu preço é muito convidativo”, garante. Outra vantagem se encontra no espaço requerido para sua instalação. “É uma máquina curta em relação aos modelos com essa capacidade”, diz. Um sistema eletrônico que permite o controle do gasto de energia é outro aspecto apontado.

    Também da Battenfeld é destacada a linha EcoPower, formada por máquinas elétricas dotadas com servomotores. Os modelos da série serão comercializados em versões com forças de fechamento entre 55 e 300 toneladas e são indicados para peças técnicas ou de ciclo rápido. “Elas proporcionam economia de energia superior às concorrentes durante as várias etapas de produção das peças”, diz Cardenal. Outras novidades serão apresentadas na linha MicroPower, com força de fechamento de 5 a 15 toneladas. A série é indicada para injetar peças abaixo de 1 grama. “As máquinas podem trabalhar em salas limpas e ser equipadas com robôs para o manuseio das peças”, informa.

     

    Leia a reportagem principal:

    Saiba mais:



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *