Máquinas e Equipamentos

19 de janeiro de 2016

Hidráulica: Fabricantes aprimoram circuitos das injetoras

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página

    É constante a busca por parte dos fabricantes de equipamentos pelo desenvolvimento constante dos circuitos hidráulicos usados nas injetoras. As tecnologias usadas são desenvolvidas caso a caso, para cada modelo de máquina. Cada fornecedor, como não poderia deixar de ser, garante contar com a solução mais adequada para os problemas dos clientes. Todos se propõem a ajudar os compradores a escolher o modelo correto.

    Plástico Moderno, Reis: família EN usa 2 servobombas para gerar movimentos simultâneos

    Reis: família EN usa 2 servobombas para gerar movimentos simultâneos

    Prova dessa constante evolução foi exibida ao público visitante da última edição da Feiplastic, ocorrida em maio em São Paulo. Durante o evento, a Romi, nome nacional mais conhecido nesse mercado, apresentou como principal novidade o modelo EN 800, com 800 toneladas de força de fechamento. Ele faz parte da família EN, que conta com modelos de até 1,1 mil toneladas de força de fechamento. O diferencial das injetoras da série é o sistema hidráulico batizado de “Stop & Go”. O lançamento mostrado na feira é acionado por duas servobombas que permitem simultaneidade de movimentos entre unidade injetora e fechamento.

    Para William dos Reis, diretor da unidade de negócios de máquinas para plásticos, o projeto da máquina visa atingir ótima capacidade de produção, repetição e qualidade nas peças obtidas. “O sistema ‘Stop and Go’ permite total sintonia entre as servobombas com a eletrônica”. Para ele, além da precisão, o equipamento trabalha com grande economia. “Este modelo reduz o consumo de energia elétrica em até 65% se comparado às máquinas hidráulicas com bomba de vazão variável. A injetora, quando ocorre o processo de resfriamento, fica em regime de espera”, afirma. Para ele, as vantagens não param por ai. “Também permite redução de consumo de matéria-prima devido à sua excelente precisão e repetibilidade”, exemplifica.

    A Wittman Battenfeld conta com modelos com diferentes tipos circuitos hidráulicos. Os mais recentes, os da série SmartPower, foram lançados durante a Fakuma, feira realizada no Japão em outubro do ano passado. No Brasil foram apresentados ao mercado durante a Feiplastic. Seu diferencial em relação aos demais modelos da marca é contar com circuito hidráulico dotado com servomotor. “A aceitação da tecnologia foi imediata, de seu lançamento até o início de 2015, mais de 50 máquinas foram comercializadas”, diz Reinaldo do Carmo Milito, diretor geral.

    Plástico Moderno, Riecker: servomotor desliga enquanto não é solicitado

    Riecker: servomotor desliga enquanto não é solicitado

    Além do circuito hidráulico avançado, outras características da linha de injetoras chamam a atenção. Oferecidas com força de fechamento de 25 a 120 toneladas, a máquina utiliza o sistema KERS (Kinetic Energy Recovery System). Na fase de redução da velocidade para a proteção do molde, o KERS transforma a energia cinética em energia elétrica, direcionando-a para outras funções e etapas do processo. Como item opcional, a linha SmartPower conta com um sistema adicional de acionamento que possibilita movimentos simultâneos entre abertura, extração e machos. “Essa opção torna mais dinâmicos os movimentos paralelos da máquina e amplia a eficiência energética”.

    Os modelos hidráulicos da Sumitomo Demag, oferecidos ao mercado com a marca Demag, contam todos com servomotores. “Esse tipo de circuito hidráulico é padrão em todas as nossas máquinas já há algum tempo”, informa Christoph Rieker, diretor geral do escritório brasileiro. O diretor compara essa tecnologia à dos automóveis mais avançados. “Nos carros mais modernos, quando o veículo para em um semáforo fechado, seu motor desliga. Isso se traduz em forte economia de combustível”.

    Para Riecker, situação similar ocorre com as injetoras da empresa. “Em determinados momentos do ciclo, a rotação do motor chega a 10% de sua capacidade, com grande economia de energia”. A linha Systec, cujo modelo Systec SP 280 chamou a atenção dos visitantes da Feiplastic, é destacada. A máquina é dotada com duas servobombas e indicada para aplicações com ciclos rápidos, realizados em poucos segundos. “Na feira produzimos potes de 1,2 litros em molde com duas cavidades e sistema in mould label”.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *