Ferramentaria Moderna

28 de agosto de 2011

Ferramentaria moderna – Componentes e acessórios para moldes vendem mais e fabricantes ampliam capacidades produtivas

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página
    Plástico Moderno, Ferramentaria moderna - Componentes e acessórios para moldes vendem mais e fabricantes ampliam capacidades produtivas

    Peças para moldes com selo Tecnoserv

    Os fornecedores de componentes e acessórios para moldes de injeção de plástico vivem momentos auspiciosos. O aquecimento da economia brasileira verificado desde o final da crise mundial de 2009 impulsionou as vendas a patamares para lá de satisfatórios. Graças ao bom desempenho, algumas das principais empresas do setor aproveitam para realizar investimentos e ampliar a capacidade de suas linhas de produção. Entre as boas notícias, um aspecto incomoda. O esforço feito pelo governo para combater a inflação, com medidas como aumento dos juros e restrição ao crédito, pretende esfriar um pouco o ritmo do crescimento. O setor torce para que tal arrefecimento não prejudique o nível positivo dos negócios alcançado nos últimos meses. Entre as empresas do ramo, podem ser citadas Polimold, Tecnoserv, MDL Danly e Três-S.

    Vale lembrar as diferenças entre componentes e acessórios para moldes. Os componentes são itens obrigatórios para o funcionamento das matrizes. Entre eles, podem ser citados buchas, colunas, pinos extratores e molas. Já os acessórios, são imprescindíveis em algumas aplicações; em outras, não são aproveitados. Nessa categoria se enquadram peças como puxadores de placas, válvulas de ar para extração, engates, gavetas e outros.

    Alguns aspectos merecem ser mencionados para explicar o desempenho positivo deste segmento. O aumento do poder aquisitivo da população vem em primeiro lugar. A classe média ganhou milhões de novos integrantes, aumentaram as vendas dos mais variados produtos, de alimentos a automóveis. De olho no aumento da demanda, a indústria aposta em lançamentos. Aumentam as encomendas de moldes para os mais distintos segmentos econômicos, casos, por exemplo, das indústrias alimentícias, de construção civil, móveis, eletroeletrônicos e automobilística, entre outras. Quanto maior o número de moldes produzidos, maior a procura por componentes e acessórios. Não por acaso, alguns especialistas estimam que os índices de capacidade ociosa das ferramentarias estão muito baixos. O fenômeno é raro nas últimas décadas.

    Em tempo: quanto mais a economia estiver aquecida, mais os transformadores colocam suas matrizes para trabalhar. Aumenta a procura por componentes e acessórios usados nas operações de manutenção, nicho importante de mercado para os fornecedores. Por falar em reposição, outro aspecto a favor do setor é o crescente uso de padronizados. Há alguns anos, quando havia necessidade de substituição, os transformadores ou ferramentarias com frequência faziam internamente peças como buchas, colunas e outras. Com a evolução do uso dos porta-moldes, as peças com medidas estabelecidas de forma prévia passaram a integrar as matrizes com maior constância. Quando é necessária uma troca, comprar peças pré-fabricadas oferece ganho de tempo e quase sempre sai mais barato.

    Uma ameaça vem da Ásia. Nos últimos anos, a importação de moldes chineses vem incomodando as ferramentarias nacionais. A economia aquecida tem minimizado o problema. Para os representantes da indústria brasileira, uma boa nova, obtida no início do ano. Depois de muitas negociações entre entidades empresariais e representantes do governo, foi publicada no Diário Oficial da União em 18 de fevereiro uma norma que aumentou a alíquota de importação dos moldes de 14% para 30%. A medida entrou em vigor no dia 1º de março e foi bastante comemorada. Com a decisão, as matrizes made in Brazil ficaram com preços mais próximos dos internacionais. Os asiáticos, no entanto, apresentam vantagem importante. Eles conseguem atender aos pedidos de encomendas em prazos muito reduzidos. Mais um motivo a favor do uso de padronizados.

    Plástico Moderno, Wilson Teixeira, Diretor técnico da Tecnoserv, Ferramentaria moderna - Componentes e acessórios para moldes vendem mais e fabricantes ampliam capacidades produtivas

    O crescimento do setor anima Teixeira, que comemora resultados

    Milhares de itens – A Tecnoserv, de Diadema, é um nome tradicional no segmento de moldes de injeção. Além de ser conhecida como fornecedora de porta-moldes, a empresa fabrica buchas, colunas, pinos extratores e molas, entre outras peças. Em paralelo, representa no Brasil algumas empresas internacionais voltadas para o segmento, entre as quais a marca alemã Strack Normalien, dona de catálogo recheado com nada menos que 80 mil itens voltados para ferramentarias e transformadores. Para Wilson Teixeira, diretor técnico, o nicho de mercado de componentes e acessórios tem apresentado excelente desempenho já há algum tempo. “Para nós, nos últimos cinco anos, tem aumentado entre 9% e 10% ao ano”, revela. No primeiro semestre, os resultados foram ainda mais compensadores. “No primeiro semestre devemos ter crescido entre 14% e 15%”, comemora.

    Para ele, tal evolução se deve em boa parte à concorrência promovida pelos asiáticos. As ferramentarias brasileiras, de olho na competitividade, estão aderindo à padronização. Elas precisam estar atentas para reduzir custos e atender às encomendas com maior agilidade. “Com a taxa de importação mais elevada, o custo dos moldes mais simples chineses ficou mais próximo do custo dos brasileiros. Mas os chineses oferecem prazos de entrega bem mais rápidos”, justifica. Esta necessidade já foi incorporada ao dia a dia dos profissionais do ramo, que na hora de desenvolver um projeto entram nos sites dos fornecedores e aproveitam as peças com medidas já existentes. Essa preocupação também agrada aos transformadores, preocupados com as agruras comuns nos momentos de manutenção. “Se uma peça do molde quebra na linha de produção, sua substituição tem que ser muito rápida para a injetora não ficar parada. Por isso, é interessante ter na ferramenta itens encontrados em prateleiras”, justifica.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *