Ferramentaria Moderna

13 de novembro de 2013

Ferramentaria Moderna: Mais acessível, prototipagem rápida atrai novos compradores

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A evolução da tecnologia de impressão em três dimensões tem sido impressionante. Há uma década, um equipamento para operações do gênero custava dezenas de milhares de dólares. Hoje é possível encontrar no mercado modelos dos mais variados portes, capazes de produzir peças com tolerância de medidas adequada para interesses diversos. Muitos desses equipamentos apresentam custo acessível para pequenas empresas e, conforme o modelo, até mesmo para pessoas físicas.

    Plástico Moderno, Modelo da Stratasys opera com multimateriais

    Modelo da Stratasys opera com multimateriais

    Tamanho avanço tem chamado a atenção da indústria de moldes para plásticos – sejam eles de sopro ou injeção –, potencial usuária dessa tecnologia. No início do século, prestadores de serviços adquiriam esses equipamentos e vendiam serviços para as empresas que desejavam contar com algum tipo de protótipo. Hoje, as empresas usuárias têm muito mais facilidade para contar com as máquinas instaladas em seus próprios escritórios.

    Designers de peças, ferramentarias e transformadores são testemunhas dos benefícios proporcionados por essas impressoras. A economia e a agilidade propiciadas são muito atraentes. Com a melhora do desempenho dos equipamentos, as possibilidades de uso se multiplicaram. Uma aplicação bastante recente e que vem chamando a atenção é a impressão de cavidades de moldes de plástico, utilizadas para conferir o funcionamento da ferramenta em projetos pilotos ou quando o transformador necessita de lotes pequenos de peças. A estratégia proporciona agilidade e economia.

    No caso de peças técnicas com design complicado, os protótipos obtidos nas dimensões desejadas para a fabricação da peça ajudam muito a corrigir possíveis erros de projeto. Nesses casos, ressalte-se, são necessários equipamentos de impressão mais sofisticados para realizar a operação. As máquinas mais simples auxiliam em outras situações. Elas, por exemplo, possibilitam que os projetistas tenham o modelo em mãos, a um custo baixo e de forma rápida, antes da aprovação do desenho.

    O cenário faz os fabricantes das impressoras comemorarem o aumento nas vendas verificado nos últimos tempos e o grande potencial de negócios existente para os próximos anos. Uma das empresas que atuam por aqui é a Stratasys, com sede nos Estados Unidos e Israel e escritório de vendas no Brasil. Ela oferece ampla gama de modelos e materiais para prototipagem. A Robtec, prestadora de serviços nas tecnologias de prototipagem rápida com atuação de destaque no continente latino-americano, ampliou seu leque de atuação vendendo impressoras fabricadas pela 3D System, marca da qual é representante no Brasil.

    Plástico Moderno, Renata estima para daqui a dois anos o aumento do consumo da tecnologia de impressão em três dimensões

    Renata estima para daqui a dois anos o aumento do consumo da tecnologia de impressão em três dimensões

    Cavidades de moldes – Utilizar cavidades de moldes impressas em 3D em ciclos de injeção oferece uma série de vantagens às empresas ligadas à indústria do plástico. “Uma única cavidade de aço pode custar dezenas ou centenas de milhares de reais e levar de uma semana a meses para ser produzida”, lembra Renata Sollero, gerente de território para o Brasil da Stratasys. A cavidade impressa em 3D, por sua vez, é produzida em questão de horas. “No caso de alguma mudança ou ajuste no projeto do produto a ser injetado, outra cavidade pode ser gerada, tornando ágil todo o processo de desenvolvimento do produto.”

    Uma das aplicações está relacionada aos produtores de grandes quantidades de peças e produtos. “Essas empresas têm a opção de conferir de forma rápida e econômica o funcionamento do molde de aço que será usado futuramente para injetar as peças”, destaca Renata. Neste caso, as indústrias de plástico chegam a imprimir de dez a vinte cavidades antes de obter o formato ideal para o molde de aço.

    Existem outras aplicações. Quando necessário, as peças produzidas por cavidades impressas podem ser enviadas para testes realizados por órgãos reguladores. “No Brasil, um brinquedo só pode ser fabricado depois de ter sido examinado e testado no laboratório da ABNT”, exemplifica Renata. Para submeter esse brinquedo a uma série de testes sem a impressora, é preciso montar toda a linha de produção e gerar o molde de aço.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *