Feiras e Eventos

30 de maio de 2017

Feiplastic 2017: Feira em casa nova apoia recuperação setorial

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Plástico Moderno,

    A Feiplastic – Feira Internacional do Plástico, a ser realizada de 4 a 7 de abril em São Paulo, contará com cerca de 300 expositores e tem a expectativa de atrair 60 mil visitantes. Uma das mudanças está no local da exposição. A feira deixará de ser realizada no Parque de Exposições do Anhembi, que abrigou todas as edições anteriores, e passará para o Expo Center Norte, local com cinco pavilhões e área total de 98 mil m² – a Feiplastic ocupará quatro pavilhões. Outra alteração será a duração do evento, que terá quatro dias contra os cinco das edições anteriores.

    Plástico Moderno, Poliamida Technyl permite fabricar contator para motores

    Poliamida Technyl permite fabricar contator para motores

    O evento bianual, de propriedade da Reed Exhibitions Alcantara Machado e realizado desde 1987 (até 2011 era denominado Brasilplast), chega a sua 17ª edição com novidades. Seu foco é apresentar novas tendências e tecnologias de empresas tidas como referência no setor em segmentos como plásticos, resinas, máquinas e reciclagem, além de contribuir para a geração de negócios e networking qualificado.

    De acordo com os organizadores, as novidades resultam da preocupação com o bem estar dos expositores, que contarão com instalações de melhor qualidade para montar seus estandes e reduzirão custos operacionais com a menor duração da feira. Eles garantem que as mudanças nada têm a ver com o lançamento da concorrente Plástico Brasil, cuja primeira edição ocorre no final do mês também na capital paulista.

    Coincidência ou não, impossível negar que a realização de outra grande exposição na mesma cidade em intervalo de tempo tão próximo provocou reflexos não muito desejáveis para os responsáveis pela Feiplastic. Muitas empresas tidas como presenças obrigatórias até a edição anterior optaram por participar da exposição cuja primeira edição ocorre esse ano. As perdas mais sentidas se deram entre as marcas de equipamentos para a indústria do plástico, muitas delas atraídas pelo fato de a exposição paralela ter ligação umbilical com a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Nomes como Romi, Carnevalli, Pavan Zanetti, entre outros, serão ausências sentidas.

    Nem por isso os visitantes deixarão de ter bons motivos para visitar o Expo Center Norte. Mesmo desfalcado, o setor de máquinas contará com importantes empresas presentes, casos da Wortex, especializada em roscas de processamento de plástico e equipamentos de reciclagem (a empresa também participará da Plástico Brasil), Tederic, Alfainjet e Haitian, distribuidoras de máquinas injetoras; Primotécnica, especializada na fabricação de máquinas e equipamentos para reciclagem de materiais plásticos; e Maqplas, indústria de máquinas para embalagens flexíveis.

    Entre os fornecedores de resina, várias multinacionais participarão de forma exclusiva desta feira, casos da Braskem, Rhodia, Basf, Dow, entre outras. O fenômeno também ocorre entre os fabricantes de aditivos, pigmentos e outros produtos químicos. “A Feiplastic já se consolidou como um importante evento internacional do setor plástico no Brasil”, resume Murilo Feltran, gerente de marketing de materiais de performance da Basf. Opinião similar tem Marcos Curti, diretor da área de plásticos de engenharia para as Américas do Grupo Solvay. “Acredito que ao mostrar para os visitantes da Feiplastic uma boa parte dos projetos e novidades que estamos desenvolvendo damos indicação de que continuamos a acreditar no potencial do setor”.

    Made in Brazil – A indústria química investe continuamente na busca de formulações capazes de ajudar a produção de peças plásticas usadas em aplicações de forma a cada dia mais confiável. Uma boa amostra de novidades poderá ser encontrada pelos visitantes da Feira. A brasileira Braskem se encaixa nesse time. Ela exporá vários destaques. Com a marca Braskem Flexus, oferece o polietileno base metaloceno, indicado para utilização em embalagens que exigem maior resistência, brilho, transparência e selagem. É voltado à indústria de transformação em aplicações de filmes especiais, bobinas técnicas e filmes industriais. Uma das novidades da família é a resina Braskem Flexus Cling, desenvolvida para extrusão de filmes stretch (estiráveis), utilizados por indústrias para proteger cargas durante transportes.

    A nova marca Braskem Amppleo, resina de polipropileno com propriedades de High Melt Strength (alta resistência do material fundido, em português), foi especialmente desenvolvida para a produção de espumas de alto desempenho. Ela tem a versatilidade como uma de suas características. A resina é capaz de suportar temperaturas de até 100°C sem deformar, apresenta redução de peso frente a outros materiais e excelente isolamento térmico e acústico. Essas resinas são indicadas para o mercado automotivo, de embalagens, eletrodomésticos e da construção civil.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *