Economia

22 de julho de 2015

Feiplastic 2015 – Máquinas: Equipamentos reforçam inovações tecnológicas para ampliar a produtividade

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Plástico Moderno, Feiplastic 2015 - Máquinas: Equipamentos reforçam inovações tecnológicas para ampliar a produtividade
    As pessoas interessadas em conhecer o que há de mais moderno em termos de tecnologia para a indústria do plástico não se decepcionaram ao visitar a Feiplastic. Os fabricantes de injetoras, extrusoras, sopradoras e todos os demais equipamentos necessários para uma fábrica do ramo compareceram em grande número no evento. Os expositores se esforçaram para agradar. Alguns aproveitaram para mostrar ao mercado lançamentos, outros apresentaram linhas já existentes aperfeiçoadas.

    O sentimento foi recíproco. Os fornecedores de máquinas e equipamentos também se mostraram satisfeitos. Eles foram unânimes ao realçar o bom número de visitantes com poder de compra, interessados em conhecer modelos mais modernos, capazes de melhorar a produtividade e produzir peças de melhor qualidade com economia de energia. Em tempo: o público superou 66 mil pessoas, de acordo com a Reed Exhibitions Alcântara Machado, organizadora da exposição.

    O quanto o diálogo entre fabricantes e clientes será traduzido em negócios precisa ser avaliado com cuidado. Os compradores de equipamentos de grande porte, cujo custo está na casa das centenas de milhares de reais, dificilmente fazem aquisições por impulso. Alguns fabricantes anunciaram o fechamento de negócios do gênero no evento, mas na maioria dos casos as conversas para a concretização das vendas já vinham acontecendo há algum tempo.

    Nesse nicho de mercado, os fabricantes reconheceram de forma unânime o grande interesse do mercado na aquisição de modelos mais modernos, com desempenho superior. Eles lamentam, no entanto, o atual cenário. Mostram-se preocupados com a insegurança gerada com os rumos atuais da economia. As dificuldades dos clientes em conseguir a liberação de financiamentos não ajudam.

    Os interessados em equipamentos de menor porte tiveram maior facilidade para aproveitar as ofertas oferecidas pelos fornecedores. O número de negócios fechados a partir de contatos feitos durante as feiras costuma ser maior e nesta edição, a despeito da crise, não foi diferente. Entre os expositores, alguns se mostraram felizes com os resultados alcançados, outros nem tanto. Tanto no caso das máquinas mais caras, quanto no das de menor preço, foram feitos muitos contatos que podem se transformar em negócios nos próximos meses. O tempo dirá.

    Servobombas – Hidráulicas, híbridas, elétricas. Brasileiras, europeias, asiáticas. De pequenos a grandes portes. Não faltaram opções para os visitantes interessados em conhecer o que acontece no universo das injetoras. Empresas com marcas brasileiras e internacionais bastante conhecidas exibiram modelos atualizados com tecnologia de ponta. Destaque para a crescente utilização de servobombas nos modelos hidráulicos, recurso tecnológico adotado por diversos fabricantes. A tecnologia parece estar se transformando em forte tendência.

    Plástico Moderno, Reis: momento para investir em máquinas mais produtivas

    Reis: momento para investir em máquinas mais produtivas

    A fabricante nacional Romi é exemplo desse cenário. O grande destaque da empresa na Feiplastic foi o lançamento do modelo EN 800, com 800 toneladas de força de fechamento. A novidade faz parte da expansão da linha de injetoras EN, que chega a modelos com até 1,1 mil toneladas. A máquina, dotada com o sistema batizado de “Stop and Go”, é acionada por duas servobombas que permitem simultaneidade de movimentos entre unidade injetora e fechamento.

    De acordo com William dos Reis, diretor da unidade de negócios de máquinas para plásticos, o projeto da máquina visa atingir ótima capacidade de produção, repetição e qualidade nas peças obtidas. “O sistema ‘Stop and Go’ permite total sintonia entre as servobombas com a eletrônica”. Para ele, além da precisão, o equipamento trabalha com grande economia de energia elétrica. “A injetora, quando ocorre o processo de resfriamento, fica em regime de espera”, exemplifica.

    Outras duas novidades foram apresentadas pela empresa. O modelo EL 300, com 300 toneladas de força de fechamento, agora é oferecido com a opção de injeção em alta velocidade, recurso ideal para a produção de peças de parede fina em ciclos rápidos. A EM 220, de 220 toneladas, também com o “Stop and Go”, foi mostrada aos visitantes com o apelo de ser econômica. “O modelo permite economia de energia de até 65% se comparado a máquinas hidráulicas com bomba de vazão variável”.

    Plástico Moderno, Modelo EN 800 conta com duas servobombas

    Modelo EN 800 conta com duas servobombas

    Reis considerou a feira produtiva. “A qualidade da visitação foi muito boa”. Alguns negócios foram fechados, outros bem encaminhados. Para ele, isso não significa a recuperação das vendas para o patamar de anos anteriores. “Estamos vivendo uma crise de confiança”. Para ele, é um bom momento para os transformadores capitalizados investirem em máquinas mais produtivas e econômicas. “Isso que queremos mostrar aos clientes”.


    Página 1 de 612345...Última »

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *