Feiras e Eventos

19 de junho de 2013

FEIPLASTIC 2013 – Sopradoras: Expositor projeta a retomada dos negócios e credita à feira o retorno dos investimentos

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Plástico Moderno, FEIPLASTIC 2013 - Sopradoras: Expositor projeta a retomada dos negócios e credita à feira o retorno dos investimentos

    O que povoa a mente dos fabricantes de sopradoras no momento é a perspectiva de que a economia brasileira volte a crescer em patamares mais expressivos, o que permitiria ao setor dar vazão a novos projetos, bem como colher níveis de rentabilidade mais substanciosos até para fazer frente ao vasto terreno semeado ao longo dos últimos anos, marcados por aquisições, investimentos em inovações e aprimoramentos em máquinas e na modernização das indústrias.

    Níveis de consumo crescentes poderiam, assim, aplacar anseios de crescimento dos fabricantes de máquinas sopradoras, o que é bastante compreensível por se tratar de um setor que ocupa uma das primeiras colocações no ranking de consumo de resinas no país, representando um dos processos de transformação mais versáteis e de ampla utilização em vários setores da economia.

    Em 2010 e em 2012, os fabricantes dessas máquinas registraram altos níveis de vendas e foram incentivados a expandir e otimizar as operações nas fábricas, melhor capacitando seus ativos para investir em novos projetos. Todas essas iniciativas, agora, confluem para um momento marcante para toda a cadeia, reunindo grande chance de encontrar eco na Feiplastic 2013, a grande vitrine para o lançamento e a difusão das mais recentes novidades e tecnologias para o setor da transformação do plástico. Assim, o megaevento deverá atuar como um grande teste de prova para que todos possam estabelecer novos contatos e fortalecer vínculos com seus parceiros, aguardando o desenrolar dos próximos capítulos da economia brasileira.

    Demanda pode aquecer – Preparando as turbinas para voos mais estáveis e de longa duração, para enfrentar picos de demanda, a Pavan Zanetti, de Americana-SP, apostou na modernização de seu parque fabril em 2012, ao construir fábrica nova em área mais ampla, de 13 mil m2, sendo 10 mil m2 correspondentes à área fabril, que já se encontra totalmente operacional e começa a mostrar os primeiros resultados práticos, oferecendo melhores condições para a realização de novos projetos de construção de máquinas.

    “Conseguimos melhorar a logística interna e as áreas dedicadas a projetos especiais, que agora contam com maior espaço e estão mais capacitadas pela chegada de novos equipamentos, como novos centros de usinagem CNC de grande porte, pois entendemos que uma indústria de máquinas não pode sobreviver a longo prazo se não contar com projetos fortes que possam levar ao mercado o que há de melhor no mundo do sopro, agregando aprimoramentos e evoluções de forma contínua e que serão transformados em tecnologias brasileiras”, comentou Newton Zanetti, diretor de comercialização de sopradoras da Pavan Zanetti.

    Plástico Moderno, Modernização de fábrica da Pavan Zanetti prevê picos de demanda

    Modernização de fábrica da Pavan Zanetti prevê picos de demanda

    Para contar com nova fábrica mais avançada e preparada para encarar picos de demanda, a Pavan Zanetti investiu R$ 15 milhões e planeja aumentos na capacidade de produção. O objetivo maior ao construir a nova fábrica é perseguido desde 2010, quando, segundo lembra Newton Zanetti, a empresa esteve com sua capacidade instalada praticamente tomada em virtude do grande movimento de compradores que resolveram investir na renovação de máquinas. O reflexo na produção resultou no fato de que a empresa chegou a perder negócios pela impossibilidade de atender a todos os pedidos a tempo, em prazos mais curtos exigidos pelos compradores, algo que não deverá ocorrer na atual fase, marcada pela superação de gargalos e pela compra de novos equipamentos de alta capacidade, que deverão tornar mais ágil a produção.
    “Estamos reduzindo o tempo entre as encomendas e a entrega das máquinas em prazos de 90 dias, em média, e preparando a fábrica para enfrentar novos desafios e picos de demanda”, informou o diretor.

    Uma das áreas mais privilegiadas na nova fábrica da empresa é a de desenvolvimento de novos projetos, que passou a contar com computadores mais modernos e programas de última geração, abrangendo, por exemplo, aplicativos específicos de autodesk para dimensionar a criação e a simulação de desempenho das novas máquinas.

    Entre os projetos mais inovadores em desenvolvimento na atual fábrica, destaca-se a iniciativa de agregar às sopradoras acionamentos elétricos, tecnologia cuja aplicação vem sendo intensificada há pelo menos quatro meses, mas que ainda requer uma data precisa para ser finalizada para comercialização.

    Isso ocorre, segundo Newton Zanetti, porque são necessários vários meses para testes, após transformar sistemas hidráulicos em elétricos, os quais contarão com acionamentos específicos, resultando na ampla servomotorização das máquinas.


    Página 1 de 41234

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *