Compósitos

26 de dezembro de 2008

Feiplar + Feipur – Cuidado com o meio ambiente marca a feira dos compósitos

Mais artigos por »
Publicado por: Renata Pachione
+(reset)-
Compartilhe esta página
    Plástico Moderno, Feiplar + Feipur - Cuidado com o meio ambiente marca a feira dos compósitos

    Carro exposto da MVC exibe carroceria de PRVC

    Mais de 12.700 visitantes estiveram na Feiplar Composites & Feipur 2008 – Feira e Congresso Internacional de Composites, Poliuretano e Plásticos de Engenharia, realizada entre 11 e 13 de novembro, em São Paulo. O evento reuniu 230 empresas, que levaram inovações em matérias-primas, processos, produtos acabados e equipamentos para o Pavilhão Vermelho do Expo Center Norte e anunciaram tendências, como a adoção, cada vez maior, de tecnologias capazes de proteger o meio ambiente e elevar a profissionalização do setor.

    A mostra contou com a presença de 38 países e cresceu em área: está 10% maior, se comparada à edição anterior. Uma das novidades se deu com a incorporação do plástico de engenharia na pauta do congresso. Para a indústria de composites (nomenclatura internacional para os conhecidos plásticos reforçados), os  expositores reservaram ao público demonstrações de processos, como o RTM (Resin Transfer Molding) Light, infusão e enrolamento filamentar (filament winding). Já para o mercado de poliuretano (PU), alguns destaques se voltaram à disseminação do uso de polióis de fonte renovável.

    Plástico Moderno, Fenelon Chaves dos Santos, Gerente de vendas da BYK Additives & Instruments, Feiplar + Feipur - Cuidado com o meio ambiente marca a feira dos compósitos

    Santos: entidade quer disseminar os processos de moldes fechados

     

    Em sua quinta edição, a Feiplar ainda tenta ampliar e consolidar a preferência da indústria por processos de moldes fechados, como já fez no passado. De acordo com a Associação Brasileira de Materiais Compósitos (Abmaco) – antiga Asplar –, o hand-lay-up e o spray-up correspondem a 53% dos processos utilizados hoje pelo setor de composites. Para o vice-presidente da associação e gerente de vendas da BYK Additives &  Instruments, Fenelon Chaves dos Santos, o grande trabalho da entidade é o de reduzir esse índice. Durante a feira, no entanto, muitos profissionais reconheceram o aprimoramento do material, como é o caso do presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), Merheg Cachum. “Os compósitos avançaram muito nos últimos anos, hoje vejo materiais mais elaborados”, comentou.

    O faturamento do mercado também cresceu – no caso, 17% (dados consolidados até outubro, comparados ao desempenho do mesmo período do ano passado). O setor faturou R$ 2,3 bilhões perante os R$ 1,96 de 2007. Para Santos, em 2009, haverá incremento da ordem de 8% sobre os números atuais. O consumo per capita no país ainda é muito baixo, o que comprova o seu potencial. No ano passado, cada brasileiro utilizou apenas 0,9 quilo de material compósito. Como referência, há os Estados Unidos, com índices de 8 kg/habitante, e a Europa, 6 kg/habitante.

    Plástico Moderno, Waldomiro Moreira, Coordenador de vendas e marketing da divisão de resinas, Feiplar + Feipur - Cuidado com o meio ambiente marca a feira dos compósitos

    Moreira comprova postura mais técnica e exigente do moldador

     

    Por mais conhecimento – A nova gestão da Abmaco, com Gilmar Lima, da MVC Marcopolo, na presidência, trouxe ânimo para essa indústria, o que segundo Santos se refletiu nesta edição da Feiplar. Um dos principais anúncios feitos durante o evento se referiu ao lançamento do livro Compósitos 1 – Materiais, Processos, Aplicações, Desempenhos e Tendências. A obra foi amplamente divulgada no estande da Abmaco e no de alguns expositores, como o da Elekeiroz, cujo coordenador de vendas e marketing da divisão de resinas, Waldomiro Moreira, escreveu um dos capítulos.

    A Abmaco idealizou o livro com a pretensão de torná-lo uma importante ferramenta de consulta para estudantes, transformadores, fornecedores de matéria-prima e usuários finais. De acordo com Santos, a obra é uma das prioridades da entidade e o que há de maior destaque no mercado hoje. O reconhecimento desses esforços se mostra na escolha dolivro como material-base dos cursos de pós-graduação das universidades Pontifícia Universidade Católica-PR, Positivo-PR e Mauá-SP. “As aulas vão começar em março de 2009 e vêm com o propósito de disseminar o conhecimento sobre composites, que é muito falho”, comentou Santos. Para ele, a feira e o livro têm o mesmo objetivo: o de tornar o material compósito mais conhecido e, por conseqüência, empregado com maior freqüência na indústria.

    Plástico Moderno, Feiplar + Feipur - Cuidado com o meio ambiente marca a feira dos compósitos

    Capô divulga linha de resina da Elekeiroz

    De acordo com Moreira, da Elekeiroz, o contato com os visitantes da Feiplar o fez confirmar o fato de que o moldador está mais técnico e exigente. Mas ainda falta muito a fazer para o setor, até mesmo em campos macroeconômicos, pois os custos da matéria-prima são baseados no dólar e, portanto, neste ano impediram a realização de alguns negócios.

    A Elekeiroz, de Várzea Paulista-SP, aproveitou a sua participação para difundir os mais diversos processos e levou para o estande variadas peças, como banheira de hidromassagem, cuba para lavatório e capô para veículo. A idéia também era, obviamente, divulgar sua vasta linha de resinas de poliéster insaturado Uceflex, como a isoftálica UC ISO 1050, para RTM e RTM Light, e a ortoftálica cristal UC K710-01, resultado da tecnologia DSM Composite Resins, de origem alemã, para filament winding. No estande, Moreira destacou ainda o Nord, sistema importado da França, para moldes com contração zero.

    Distribuidora de matérias-primas, a Abcol – AG Brasil Compósitos reuniu muitos visitantes ao redor de seu estande, por causa das demonstrações de processos como o RTM Light e a infusão. Entre os produtos e equipamentos, um dos destaques ficou por conta dos núcleos inerciais Airex Baltek, para estrutura sanduíche, de polímeros expandidos e de madeira balsa, pois, de acordo com o diretor da Abcol, Gilmar Auter, proporcionam resistência aos esforços mecânicos e leveza ao produto, características exigidas na construção de estruturas para embarcações e pás eólicas.


    Página 1 de 612345...Última »

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *