Feiras e Eventos

1 de fevereiro de 2013

Encontro promove tecnologias e debate o mercado de acrílico

Mais artigos por »
Publicado por: Maria Aparecida de Sino Reto
+(reset)-
Compartilhe esta página

    No final do ano passado, a 13ª edição do Fórum Acrílico – Máquinas & Acessórios, uma promoção do Instituto Nacional para o Desenvolvimento do Acrílico (Indac), realizada em São Paulo, abordou temas como inovações em chapas acrílicas, colagem, tubos, tecnologia de corte a laser, mercado de acrílico e previsões para 2013.

    De acordo com a entidade, o mercado brasileiro para as chapas acrílicas tem crescido nos últimos anos em um ritmo médio de 8,4% ao ano e há espaço para avançar ainda mais. O Instituto prevê para o setor um crescimento da ordem de 7,0% em 2013, estimativa baseada na relação histórica dessa indústria com o PIB brasileiro.

    Peças técnicas de acrílico

    Peças técnicas de acrílico

    Um dos caminhos apontados para as metas de expansão é investir na gestão das empresas, visto que pesquisa realizada pelo Indac neste ano identificou que as companhias apresentam muitas dificuldades em desenvolver planos estratégicos e conhecimento organizacional. A avaliação detectou que, em geral, os transformadores de chapas acrílicas costumam atender aos mais diversos tipos de pedidos e de clientes, sem objetivo de futuro e de estratégias de como persegui-lo. O mesmo estudo mostrou, porém, que esses gestores se saem bem em quesitos de relacionamento com clientes e processos técnicos.

    Quanto às apresentações, a Automatisa tratou do corte a laser em chapas acrílicas e traçou um paralelo entre as principais opções de corte e gravação disponíveis no mercado brasileiro, com destaque para os equipamentos a laser, que dispensam a necessidade de lixar e polir as chapas após o corte, além de serem indicados para trabalhos mais complexos.

    Dois modelos se destacam na carteira de produtos da empresa: a Acrila, hoje o carro-chefe de vendas, oferece tecnologia a laser, possui duas cabeças de corte com operação simultânea e opera com chapas inteiras, graças à sua extensa área de trabalho (2.500 x 1.500 mm); e a galvanométrica, máquina indicada para gravações com agilidade e precisão.

    A Castcril aposta em novidades com as chapas orgânicas, as solid surfaces e as bicolores. Nas primeiras, o acrílico é fundido com plantas e diferentes formas vegetais. Elas se destinam à decoração de interiores e projetos arquitetônicos. As solid surfaces (superfícies sólidas) são ultrarresistentes, além de higiênicas, por não serem porosas. Podem ser usadas em variadas aplicações em ambientes externos e internos (cozinhas e banheiros, hospitais, restaurantes etc.) e se encontram disponíveis nas mais diversas espessuras, desde 4 mm até 18 mm. Resultado da fusão de duas chapas de cores diferentes, as bicolores são mais resistentes e indicadas na fabricação de móveis, além de apropriadas para uso na arquitetura e na comunicação visual.

    A comunicação visual, a propósito, é o principal mercado do acrílico, detentor de 60% de sua demanda. Fornecedora de máquinas a laser, a Sei Laser divulgou no evento equipamentos que permitem aos moldadores de chapas acrílicas o desenvolvimento de soluções inovadoras, tais como a possibilidade de fazer frisos superficiais nas chapas, com um efeito de refração da luz, iluminadas em pontos estratégicos, que, quando recebem uma imagem impressa e sobreposta, proporcionam um efeito diferenciado.

    A Acriresinas divulgou as principais características das diferentes opções dos seus tubos acrílicos: extrudados, costurados e centrifugados. A indicação tanto dos extrudados como dos costurados é para aplicações com baixa exigência de resistência físico/química, como objetos de decoração, embalagens, displays etc. Os costurados, porém, possibilitam maiores diâmetros. Por sua elevada resistência à alta pressão, os centrifugados suprem com maior propriedade mercados como tubulações industriais e peças técnicas.

    A Sinteglas fechou o ciclo de palestras com questões relativas à colagem de chapas acrílicas e também sobre as particularidades desse processo, a fim de sanar as dúvidas e os problemas mais comuns dos profissionais da área, tais como reduzir a rugosidade dessas chapas, forte empecilho para a colagem. A empresa ensina que a maneira mais eficiente para isso é usar uma retífica diamantada. Para garantir a colagem de chapas cortadas a laser, sugere atenção na regulagem da máquina e também na potência, que precisa ser suficiente para cortar determinadas espessuras, evitando deformações nas bordas das chapas, o que impossibilita ou dificulta a colagem. Lembrete importante: polir a borda que será colada tira toda a eficiência da cola.

    O Instituto Nacional para o Desenvolvimento do Acrílico agrega mais de 50 empresas ligadas ao setor e atua há doze anos com o intuito de expandir a participação do material no mercado nacional. Além de contribuir para o desenvolvimento do mercado do acrílico em inúmeras aplicações, promover eventos e divulgar informações atualizadas do setor, também colabora na evolução de suas associadas.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *