Embalagens

19 de novembro de 2016

Embalagem: Tecnologia une bolsas e bicos

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Plástico Moderno, Embalagem: Tecnologia une bolsas e bicos

    A Tradbor se tornou pioneira no Brasil na fabricação de bolsas com bicos e tampas injetadas. O início da produção se deu a partir de uma parceria feita em julho do ano passado com a italiana Gualapack Group, nome bastante conhecido no exterior pela sua experiência com esse tipo de embalagens. “Estamos há 22 anos no mercado e somos a única empresa brasileira com linha de produção totalmente voltada para bolsas”, revela Alan Baumgarten, diretor-executivo. O início da produção de pouchs com bicos e tampas complementa a linha oferecida. “Também fazemos bolsas com formatos personalizados variados, dotadas ou não de zípers”.

    A ideia de se associar à Gualapack foi a de contar em casa com a tecnologia de um tipo de solução cuja procura tem aumentado em todo o mundo. “Trata-se de um sistema de embalagem único na área de flexíveis, totalmente integrado. Nos últimos anos, vivemos um boom de aplicações, especialmente nos Estados Unidos e Europa”. O diretor informa que esse tipo de bolsa está sendo adotada por empresas como Nestlé, Heinz, Andros, Danone, Unilever, entre outras. “Um exemplo de aplicação se dá na substituição dos potes até hoje usados para embalar as papinhas para crianças”.

    As novas bolsas podem ser fabricadas em diferentes formatos. Elas têm o corpo fabricado com filmes de três ou quatro camadas, de acordo com a aplicação. São usadas, conforme a necessidade, combinações formadas por matérias-primas como poliestireno, polietileno, poliamida, polipropileno e alumínio. Os bicos e tampas são produzidos, em sua grande maioria, em polietileno. “Quando o produto será submetido a uma autoclave, os bicos e tampas são fabricados em polipropileno, material com maior resistência térmica”.

    As máquinas usadas para a produção desse tipo de bolsa são importadas, fabricadas pela própria Gualapack. Elas são produzidas apenas para serem utilizadas nas dez plantas pertencentes ao grupo, distribuídas em sete países. O equipamento destinado ao envasamento dos produtos também é produzido pelo grupo italiano. “Essas máquinas são comercializadas para as empresas interessadas”.

    Baumgarten afirma que além de todos os atributos inerentes à embalagem flexível, como leveza, compatibilidade ambiental, diversidade de formatos e volumes, conveniência e praticidade para o consumidor final, o sistema Gualapack se destaca pelo alto nível de segurança. Para dar garantia de qualidade aos clientes das bolsas, a empresa encontra-se em fase final do processo de obtenção da certificação da norma British Retail Consortium (BRC). ”Esperamos conseguir o certificado até o final do ano”.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *