Borracha

28 de setembro de 2012

Calçados de poliuretano – predominante em soladosm a resina pode usada com vantagens também em outros componentes

Mais artigos por »
Publicado por: Jose Paulo Sant Anna
+(reset)-
Compartilhe esta página

    O Brasil é apontado como o terceiro maior produtor mundial de calçados. Especialistas estimam que sejam fabricados no país entre 850 milhões e 900 milhões de pares por ano. Um filão e tanto para os fabricantes de poliuretano. Entre eles, podemos citar Basf, Coim, FCC, Dow e Huntsman. Também é um nicho atraente para as “casas de sistemas”, nome dado às empresas que não fabricam a matériaprima, mas a utilizam para desenvolver formulações variadas com a adição de aditivos, pigmentos, retardantes de chamas e outras substâncias. Podem ser citadas, desse mercado, a Poliresinas e a Purcom.

    Plástico, Calçados de poliuretano - predominante em soladosm a resina pode usada com vantagens também em outros componentes

    Todo de PU, Pure absorve mais de dez formulações

    Por suas características, os poliuretanos são aproveitados em várias aplicações nos calçados. Eles apresentam excelente resistência mecânica, densidades compatíveis para diferentes funções e outras propriedades bastante apropriadas para a indústria. Entre os componentes, os solados representam o maior mercado. O uso da matéria-prima em palmilhas encontra-se em significativa evolução.

    O material também é aproveitado de outras formas. Em algumas, é bastante competitivo. É o caso, por exemplo, dos solados para calçados de segurança. Pode se transformar em tecidos sintéticos similares ao couro e em espumas usadas para “rechear” linguetas, entre outros usos. A disputa com outras matérias-primas nas diferentes aplicações é ferrenha. PVC, EVA e couro são alguns dos materiais a disputar a preferência dos consumidores.

    A situação podia ser melhor. A indústria calçadista, tradicional exportadora, vem sofrendo bastante com a valorização do dólar ocorrida nos últimos anos. Ela perdeu participação em vários mercados internacionais. A insegurança provocada pelos problemas enfrentados pela economia europeia também atrapalhou. Isso afetou de maneira particular o nicho de calçados nobres, no qual o poliuretano conta com participação destacada. A melhora do poder aquisitivo da população brasileira compensou um pouco o prejuízo. No mercado interno, no entanto, a forte concorrência dos produtos chineses, conhecidos pelos seus preços para lá de competitivos, é problema a ser superado.

    As consequências do cenário para os fornecedores de poliuretano são diretas. Eles acusam retração nas vendas no primeiro semestre deste ano, depois de experimentarem resultados positivos em 2011. A partir de julho houve retomada. A expectativa é fechar o ano no azul. Ninguém, no entanto, arrisca dar palpites sobre números.

    Um fator de forte influência sobre as vendas é a moda. De acordo com as tendências, o uso de poliuretano ou de outras

    Plástico, Calçados de poliuretano - predominante em soladosm a resina pode usada com vantagens também em outros componentes

    Huntsman tem dureza intermediária para esportivos

    matérias-primas pode ser incentivado ou reprimido. É uma variável complicada para as empresas do setor. Não há como prever os ditames vindos das mentes dos estilistas. Uma certeza é a necessidade de se investir em pesquisa e desenvolvimento. A variedade de design obriga a isso. Conforme o modelo, torna-se necessária a adoção de diferentes formulações.

    Um quesito também importante é a resistência do produto final, diferenciada de acordo com os diversos nichos de mercado aos quais são destinados. No caso dos calçados femininos, por exemplo, as exigências são muitas. As mulheres trocam de modelo em períodos menores, a resistência dos solados nem sempre é fator primordial. Os homens usam sapatos por períodos maiores e querem produtos mais duradouros. Há casos específicos, como os dos calçados de segurança, mercado em que o poliuretano, por suas características, se mostra bastante competitivo. Como tendências, os clientes cobram por materiais mais leves, que proporcionam conforto aos usuários. Soluções ecologicamente corretas também são muito bem-vindas.

    Linha completa – A Basf é uma gigante ligada ao mundo químico que dispensa maiores apresentações. Em sua vasta linha de produtos, o poliuretano ocupa papel importante. No Brasil, a empresa se encontra entre os maiores fornecedores da matéria-prima. “A Basf oferece soluções de poliuretanos, poliéster, poliéter e TPU, ou seja, temos a linha mais completa”, garante Rudnei Assis, representante técnico e comercial da empresa.

    Entre os compradores da matéria-prima, a indústria calçadista merece destaque. “Podemos dizer que desde o início da nossa planta no Brasil o setor sempre foi nosso cliente.


    Página 1 de 41234

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *