Feiras e Eventos

13 de maio de 2009

Brasilplast 2009 – Feira supera adversidade e injeta novo fôlego ao setor

Mais artigos por »
Publicado por: Plastico Moderno
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A semana dedicada à maior exposição da indústria do plástico no país, de 4 a 8 de maio, causou temor e surpresa nos corredores do Parque Anhembi. Os expositores receavam uma feira fraca, ainda por

    conta dos rescaldos da pandemia econômica. Logo no primeiro dia, a visitação ficou prejudicada pelo forte temporal que Plástico Moderno, Brasilplast 2009 - Feira supera adversidade e injeta novo fôlego ao setordesabou sobre São Paulo e dificultou o acesso à mostra. Foi uma segunda-feira nebulosa, com um público minguado. As águas de maio que derrubaram árvores na cidade respingaram, literalmente, até em quem estava dentro do parque. O investimento em infraestrutura do pavilhão, alardeado pela promotora, a Reed Exhibitions Alcantara Machado, ainda foi insuficiente para evitar problemas costumeiros: choveu (menos, é verdade, mas choveu!) dentro do parque de exposições e um blecaute manteve diversos estandes às escuras por horas. O afluxo crescente do público nos dias seguintes aliviou os ânimos e, no último dia do evento, o clima era de que a Brasilplast, mais uma vez, teria superado as expectativas, a despeito de todas as dificuldades.

    Pelos números oficiais da organizadora, o parque de exposições recebeu 1.302 expositores e 63.168 visitantes, contra 1.294 e 62.787, em 2007. Mesmo assim, ausências importantes foram sentidas, entre as quais a Bayer e a Innova, só para ficar no campo dos insumos.

    Crise à parte, a feira cumpriu seu papel de ofertar inúmeras novidades e apontar tendências. Os “ecoprodutos”, tecnologias “verdes” e bandeiras de sustentabilidade deram o tom no espaço das resinas e aditivos. PM dedica esta edição à cobertura das commodities, com destaque para a reestruturação, agora, do braço comercial da segunda geração petroquímica: a distribuição. Inevitável, a integração deverá acomodar o setor ao novo desenho da petroquímica brasileira. No campo dos plásticos de engenharia, o PBT foi a principal atração de diversos expositores, dividindo os holofotes com os produtos ecológicos. Entre os aditivos, a mostra deixou clara a perseguição por produtos capazes de oferecer melhor desempenho em menores concentrações, aliada também ao desenvolvimento de formulações sustentáveis. Os expositores de masterbatches apostaram nas inovações, com grande foco na oferta de concentrados elaborados sob medida, de acordo com as necessidades do cliente. No segmento de máquinas, bem, essa é uma outra conversa, reservada para a próxima edição.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *