Aditivos e Masterbatches

5 de maio de 2007

Aditivos – Expositores apostam em novos aditivos fornecidos em grânulos para melhorar propriedades de polímeros

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Renovados na aparência e nas propriedades, commodities e polímeros de engenharia não serão mais os mesmos depois da 11ª Brasilplast. Graças às mais recentes inovações empreendidas no território dos aditivos, boa parte deles agora fornecidos em grânulos, polietilenos, polipropilenos, poliamidas, poliésteres, PET, ABS e blendas de PC e de PBT podem contar com melhorias e ajustes de propriedades, que irão propiciar transformados de maior qualidade e funcionalidade ao mercado.

    Os polietilenos empregados na produção de filmes aditivados com agentes nucleantes acabam de ganhar altíssima transparência. Assim, tornam mais visíveis grande diversidade de produtos embalados e estabelecem novos padrões visuais de transparência aos filmes encolhíveis, esticáveis e às bobinas técnicas, materiais com largo emprego nos setores industrial e de consumo.

    Originalmente produzidos em pó, mas agora também disponíveis na forma de concentrados, os agentes nucleantes para polietilenos, inovação apresentada pela Milliken, não só contribuem para melhorar a transparência de filmes, como também aumentam a barreira à umidade, deixando-os ainda mais resistentes a rasgos e às selagens a quente realizadas nas indústrias.

    “Nucleados com Hyperform HPN-20E, os filmes de polietileno resultam em melhorias de propriedades ópticas e físicas”, informou Claudia Kaari Sevo, gerente de aditivos poliméricos para todo o Brasil. Nos testes realizados com o novo aditivo, foi possível observar um aumento significativo do brilho e redução da opacidade em 40%, na comparação com o PEBDL sem esse tipo de aditivação. Entre os ganhos, constatou-se maior tempo de prateleira para produtos sensíveis à umidade. Isso ocorreu devido à redução da permeabilidade aos vapores d’água para o PEBDL em 40%, e para o PEAD, em 20%.

    “O aumento da resistência à selagem a quente proporcionada pelo nosso agente nucleante também permite maior flexibilidade na escolha do material para a camada selante, podendo-se ainda contar com a possibilidade de reduzir a espessura do filme devido ao melhor desempenho nas propriedades de rasgo e de resistência ao impacto, em comparação com as blendas de PEBD/PEBDL”, afirmou Claudia.

    Alvos das recentes inovações, os polipropilenos clarificados alcançaram grande repercussão na edição da Brasilplast, em 2005, por oferecer ao mercado novos padrões de transparência às embalagens de bebidas, alimentos, cosméticos, produtos de limpeza, utilidades domésticas, caixas de DVD, entre inúmeras outras, tanto em processos de injeção e sopro convencionais, como de paredes finas, ou mesmo injeção/estiramento/sopro (ISBM), extrusão de chapas, filmes e termoformagens.

    Plástico Moderno, Francisco C.F. Lopes, gerente de novos negócios da área de aditivos para plásticos da Ciba, Aditivos - Expositores apostam em novos aditivos fornecidos em grânulos para melhorar propriedades de polímeros

    Lopes: aditivo entra em PP por recomendação da Fifa

    PP ainda mais transparente – O mais recente legado a essa categoria de polímeros parte da Ciba, que lança no mercado brasileiro dois agentes para PP: um clarificante (Irgaclear XT 386) e um nucleante (Irgastab NA 287).

    “O Irgaclear XT 386 é uma inovação na área de clarificantes para polipropileno, até hoje baseados em derivações de sorbitóis”, informou Francisco C.F. Lopes, gerente de novos negócios da área de aditivos para plásticos da Ciba.

    A nova geração de clarificantes da empresa, apresentada ao mundo em setembro de 2006, em lançamento promovido na Europa, baseia-se em trisamida. Mas, além da estrutura química, o mercado apreciará saber que o uso do novo aditivo promete gerar maior eficiência na clarificação em proporções mínimas de uso, entre 0,015% e 0,020%, nível de concentração cerca de doze vezes menor em comparação com as proporções de uso dos derivados de sorbitol.

    “Essa alta eficiência tem grande impacto sobre as propriedades organolépticas do polipropileno, pois se consegue obter um material praticamente isento de odor e sem coloração. Por ser mais estável termicamente em relação aos sorbitóis também permite a reciclagem do PP clarificado, sem perda da transparência”, acrescentou Lopes.

    Nos testes realizados, o novo aditivo se apresentou termicamente estável sob temperaturas até 380oC. Nas várias etapas de processamento, também não apresentou exsudação. Mas, além de beneficiar o transformador, outro grande favorecido será o consumidor, que poderá visualizar a integridade dos produtos embalados e expostos em prateleiras e gôndolas do varejo.

    Estabilizantes de efeito duradouro – Ativas quimicamente nos polímeros por dez até quinze anos, as novas gerações de estabilizantes ao espectro de luz ultravioleta (UV) evoluíram rapidamente em resposta às necessidades do mercado, principalmente o automotivo, que não esquece e tampouco perdoa veículos com pára-choques em PP, transitando anos atrás completamente desbotados e esbranquiçados.

    Considerados um dos precursores da nova geração, os aditivos da linha Cyasorb THT, desenvolvidos pela Cytec, consolidaram-se em muitas aplicações. À base de triasinas e aminas estericamente bloqueadas (hals), formulados em vários padrões de UV, desde UV4 até UV20, incluindo itens especiais para a rotomoldagem de polietilenos, esses aditivos mais recentemente tiveram seu foco centrado, no caso da Cytec, em formulações especialmente desenhadas para estabilizar à luz UV filmes de PEBD para estufas e coberturas de solo de grande uso no setor agrícola.


    Página 1 de 512345

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *