Aditivos e Masterbatches

18 de novembro de 2013

Aditivos: Consumo de moléculas com alto rendimento deslancha

Mais artigos por »
Publicado por: Renata Pachione
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Plástico Moderno, Aditivos: Consumo de moléculas com alto rendimento deslancha
    O mercado de aditivos se direciona para a especialização das moléculas. Apesar de produtos considerados commodities ainda ocuparem a maior fatia da demanda, grande parte dos novos investimentos foca formulações de alto valor agregado. Caracterizada por poucos produtores locais, esta indústria sofreu mudanças nos últimos anos, e reflete essas novas diretrizes em seus desenvolvimentos. O avanço tecnológico dos polímeros e das máquinas de transformação do plástico não só impulsionou como também abriu o setor para o binômio eficiência das moléculas e práticas sustentáveis e seguras.

    Plástico Moderno, Para Ghidetti, setor agrícola tem impulsionado os negócios

    Para Ghidetti, setor agrícola tem impulsionado os negócios

    “A avaliação que fazemos é a de uma demanda cada vez maior por especialidades”, resume Paulo Ghidetti, coordenador técnico da BU Additives para a América Latina da Clariant. A nova ordem do mercado tem sido esta. Os investidores perceberam a necessidade de aplicar seus recursos em produtos diferenciados, pelo menos no que diz respeito a alguns setores, como o agrícola, voraz consumidor deste tipo de solução.

    Por conta desse cenário, a suíça Clariant aposta suas fichas em produtos com características especiais. A linha Hostavin Now, composta de estabilizantes à luz, é a menina dos olhos da vez. Lançado globalmente no início deste ano, o produto foi criado com a proposta de apresentar um desempenho superior aos outros da mesma categoria. Trata-se de uma formulação baseada em amino éter, que foi desenvolvida para ser aplicada aos filmes agrícolas. “O mercado de aditivos está se aprimorando cada vez mais para atender às necessidades por produtos com alto rendimento, e o setor agrícola, a cada ano, precisa atender ao aumento crescente da demanda de alimentos”, diz Ghidetti.

    Presente em toda a América Latina, “com total aceitação”, segundo o executivo, a linha Hostavin Now foi criada com a proposta de, quando incorporada aos filmes agrícolas, proporcionar maior tempo de duração e conferir alta resistência ao ataque químico. “É um produto de fácil incorporação e dispersão durante seu processamento”, afirma Ghidetti. Entre os benefícios estão ainda a alta compatibilidade com a resina e a melhor distribuição, além da isenção de propriedades organolépticas (como odor) no processamento.

    Outra forte demanda percebida pela Clariant responde pela categoria de ceras lubrificantes. Por isso, a companhia apresentou como novidade sua linha de produtos de alto desempenho feitos com matérias-primas de fonte renovável. A cera Licocare SBW11 se destaca. Utilizada no processamento de PVC, ela é produzida com óleo de soja e modificada quimicamente.

    Os investimentos no setor vão além. A Clariant anunciou recentemente a instalação de novos equipamentos de micronização em sua unidade de Gersthofen, na Alemanha. A ideia é expandir a produção e tornar a planta de ceras micronizadas uma das maiores do mundo.

    Plástico Moderno, Angela: competitivo, mercado anseia por produtos especiais

    Angela: competitivo, mercado anseia por produtos especiais

    Foco na especialidade – “O mercado nacional de aditivos de plásticos tem mostrado intenso avanço. Novas tecnologias e novas necessidades impulsionam o setor”, comenta Angela Baccarin, vendedora técnica da unidade de negócios Functional Chemicals (FCC) da Lanxess. É isso mesmo. Em outras palavras, pode-se dizer que os profissionais, pelo menos do segmento de plastificantes, vislumbram o aumento do consumo dos aditivos livres de ftalatos. Este é um mercado em formação que, apesar de ainda se caracterizar por volumes incipientes, tem crescido em âmbito global e até mesmo por aqui.

    A companhia possui em seu portfólio aditivos como retardantes de chamas, agentes expansores, plastificantes, modificadores, promotores de adesão e especialidades, mas, em razão dos rumos atuais do setor, destaca, não por acaso, as marcas de aditivos livres de ftalato Mesamoll e Unimoll AGF. “São os nossos carros-chefes da unidade FCC”, diz Angela. O Mesamoll é um plastificante universal éster fenil-alquilsulfônico. Trata-se da molécula mais antiga da linha, com característica de gelificação mais rápida do que a de outros aditivos a temperaturas de processamento mais baixas, segundo o fabricante.

    O Unimoll AGF, por sua vez, é um plastificante produzido apenas com matérias-primas renováveis. Trata-se de uma molécula cuja composição conta com glicerol e ácidos graxos, com propriedades muito próximas às do dioctiladipato (DOA). O produto, que já conta com a aprovação dos órgãos regulatórios, pode ser utilizado na produção de filmes estiráveis de PVC e em brinquedos, justamente por ser permitido para fins alimentícios em diversos países, entre eles o Brasil. “É bastante empregado em aplicações que terão contato com alimentos, como embalagens e periféricos da indústria de alimentos, tais como mangueiras e esteiras transportadoras”, comenta a vendedora. Ambos os plastificantes são fabricados na Alemanha.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *